Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


O Preço

Compartilhe
Zer0
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 112
Data de inscrição : 13/03/2017

Re: O Preço

Mensagem por Zer0 em Sab Maio 06, 2017 7:37 pm

Sonic faz a mira de dentro do caminhão e atira, porém o condutor da moto parecia  experiente e fez o veículo realizar manobras que dificultaram muito a precisão dos tiros. Alguns poucos pegaram na lataria, porém nenhum dano foi causado, mas Solo não parou para ver o resultado e correu em direção a escada do prédio. 
 
Semelhante aconteceu com Carmem que, além de ser enganada pela manobra, contou com  o coice poderoso de 25 balas sendo atiradas em menos de 3 segundos. Apesar de  errarem os alvos, os disparos assustaram o garupa, que se encolheu, temeroso. 
 
Nesse instante, Jin encara o piloto. Ele já havia terminado sua manobra e agora andava em linha reta. Os olhares se cruzaram, no motorista, a ira. Em Jim, a certeza de uma garota que atirava em motoqueiros desde que conseguiu segurar uma arma. 
 
O primeiro tiro foi certeiro, direto na têmpora, fazendo o alvejado perder todos os sentidos e derrubar a  moto que raspou alguns metros de chão. O atirador na garupa, apesar de ferido, consegue se  desprender das ferragens, define a motocicleta como sua trincheira e, deitado, tenta atingir a nômade que entrava no caminhão. Porém a porta já estava fechada e as balas se alojaram na carroceira, não conseguindo penetrar. 
 
O arpoeiro na janela, vendo Sonic completamente fora de ângulo e Jim entocada no caminhão mira em Carmem e dispara uma rajada de três balas em direção a garota, que sente dois pelotes atingirem suas costelas. Apesar de nenhum furar sua jaqueta, Kishimoto sente uma pancada extremamente poderosa, ao olhar para o local, percebe que a bala não a feriu por pouco, pois a blindagem apresentava uma marca profunda que não iria sair com uma lavagem. 
 
Dentro do prédio, F. crava sua faca com toda a sua força em um pedaço de carne humana que conseguiu encontrar naquele amontoado de implantes, mas apesar de a atravessadora usar todo seu potencial e sentir o sangue (mais frio que o comum) escorrer por sua mão, não houve reação por parte do gigante. 
 
Rapidamente se jogou no chão, agarrou suas pistolas e, deitada de bruços, disparou 
contra o titã que corria em sua direção. Um sorriso surgiu na cara do brutamontes 
que erguia sua massiva bota para esmagar o crânio de King, porém sua expressão foi destruída quando uma bala do mais poderoso calibre explodiu sua cabeça, causando uma chuva de componentes eletrônicos e sangue que respingaram sobre a atiradora, que não escondeu o sorriso ácido da vitória. 
 
Uma falha generalizada começou a ocorrer no corpo morto e algumas pequenas explosões pipocavam em seu interior. De repente uma dor, como uma injeção surgiu na coxa da garota que viu, em sua calça, um pequeno rasgo. Um dos componentes havia sido expelido e causava aquela dor irritante. 
 
De repente um som reaparece no campo de batalha. O caminhão... Havia ligado novamente! Sonic, na recepção, apenas ouviu sua voz dentro da própria cabeça  "Só pode estar de brincadeira."
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 536
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: O Preço

Mensagem por Nimaru Souske em Dom Maio 07, 2017 1:09 pm

Por mais que F. king esfaqueasse o grandalhão, parecia que o mesmo não possuía terminações nervosas. Isso fez com que ela se desvencilhasse de seu agarrão e se joga-se ao chão para pegar suas pistolas. A bala explodiu a cabeça do homem que já planejava pisar na cabeça da garota que agora finalmente sentia o êxtase de ver tudo aquilo desmoronar ao chão, emitindo um som molhado de metal.


- BOOOMMM, EU DISSE GRANDALHÃO. EU DISSE QUEM IA CAIR PRIMEIRO ( RISADA)

Com a queda e a pane elétrica causada pela morte cerebral do individuo,  corpo entrou em curto e vários pedaços voaram pelo local. Bytch tentou se esquivar e achou que havia conseguido, quando já estava em pé ali. Mas, ao olhar para sua perna, viu que um pedaço havia lhe perfurado a carne a causada uma dor incomoda.

- Mas que merda, parece que eu nunca consigo sair de uma briga sem sangrar.

Após retirar o fragmento que a penetrou, pegou de seu bolso localizado na barra da calça uma caixinha de primeiro socorros onde estavam alguns itens que lhe serviriam para ao menos para dar um tratamento rápido e não infeccionar todo membro. Após o rápido tratamento, levantou-se com a perna enfaixada e rumou em direção ao alvo morto. O pegou pelo braço mecânico e o arrastou enquanto sobia as escadas para, finalmente, chegar a seu destino onde os arpoeiros estavam. Uma de suas pistolas estava no coldre e a outra estava em punho. Estava atenta para atirar em qualquer movimento.

- Podem vim seus filhos da put* .

Ao fundo podia-se escutar um barulho de motor voltando a ligar. King não dera atenção a isso no momento.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Seg Maio 08, 2017 9:57 pm

Carmen fica frustrada por não ter conseguido acertar a mira. Ela solta um gemido de raiva quando as balas acertam sua jaqueta.

- Droga!! - Resmunga - Cabrón!

Ela se surpreende ao ver o caminhão ligando, não sabia o que estava acontecendo direito, mas decide se aproximar para averiguar. Vai dar partida na motocicleta e se aproximar com cuidado do caminhão, se puder ficar atrás da lateral do veículo para se proteger dos tiros.

-Ei! Ei! O que está acontecendo aqui?! - Grita assim que cegar perto do caminhão.
Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: O Preço

Mensagem por Okley em Sex Maio 12, 2017 6:04 pm

Sonic já se preparava para chegar no prédio, para partir em retirada. Até que Jin retruca o seu aviso e não demostrava interesse em sair do local. Demorou alguns segundos pensando no que responderia a ela até que que começa a ouvir uns barulhos. Dando um soco de raiva na parede, não consegui fazer muita coisa na batalha, estava longe do caminhão, que volta a funcionar e a arma descarregada. Pelo menos esperava que com o aviso dele as meninas reagrupassem.  

- Precisei sair por causa dessa porcaria. – Era uma mentira deslavada, ele me demonstrou preocupação se a outra iria acreditar, afinal estava odiando tudo ali. Decide por retornar ao caminhão e quem sabe assim sair daquele inferno.

Com a arma embutida ele mira em um dos caras que está de pé, para acertar na cabeça dele e não incomodar. Assim daria tempo para retornar para o caminhão para sair dali.
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 352
Data de inscrição : 02/03/2014

Re: O Preço

Mensagem por isaac-sky em Sab Maio 13, 2017 1:06 am

"Sorry pal, era eu ou você"" Jin pensou ao alvejar o motociclista. O atirador se mantinha persistente.

O que quer que tenha nesse caminhão é valioso o suficiente para que eles literalmente se matassem.

"Mas estamos todos vivos, já melhor que a maioria..."

Abriu as portas do caminhão e mirou no cara que atirava com a motocicleta caída como proteção.

-Ainda dá tempo de fugir e contar pro seu chefe que esse trampo é uma roubada" gritou e mirou na cabeça do atirador.

Disparou duas vezes e fechou a porta do caminhão.

O caminhão começava a funcionar novamente!

-Desgraça, e o piloto não tá aqui. Se não voltar a tempo eu vou ter que dirigir...
Zer0
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 112
Data de inscrição : 13/03/2017

Re: O Preço

Mensagem por Zer0 em Sab Maio 13, 2017 8:04 pm

Sonic guarda a submetralhadora em seu coldre enquanto de seu braço é expelida uma pistola pesada. Sai do prédio e começa a correr até o caminhão, no meio do caminho para, faz mira e dispara. 
Do lado de dentro, King surge das escadas carregando o corpo destruído e enorme do cyberpsicótico. O atirador se vira, arregala os olhos e grita: 

-Por que porra você está carregando ele!? 

Então uma bala sai de dentro de sua testa. Hunter acertou precisamente na nuca do arpoeiro. A atravessadora sente a frustração de ver seus dois alvos já abatidos por seus companheiros. 

Carmen consegue se esconder em um ponto cego do combate e observa pela janela Jin abrir a porta e atirar com precisão na cabeça do combatente que se escondia atrás da moto. A cabeça do atingido dá um enorme coice para trás, então ele coloca o dedo na orelha, como se tentasse ouvir melhor uma mensagem em seu fone e sem aviso atira em sua própria cabeça. 

Um silêncio estranho toma conta do local, todos continuam apreensivos, não parecia 
que tinha acabado. Então Sonic abaixa sua arma, ele sabia que os inimigos não esperavam 
reforços.  

O motor do caminhão parece ganhar forças a cada instante, os arpões já não produziam mais ondas elétricas, suas baterias haviam se esgotado. 

...

Ferimentos:
Os ferimentos não somem automaticamente após o combate. Sonic tem um ferimento leve no rosto, Jin tem um grave na perna e King tem um leve na perna. 
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 536
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: O Preço

Mensagem por Nimaru Souske em Sab Maio 13, 2017 9:54 pm

F. King joga com muito ódio o grandão contra mureta onde os dois arpoeiros estavam se escondendo antes de morrer, com o objetivo de quebra-la e fazer com que todo aquele corpo caísse lá em baixo. Na varanda, grita para qualquer um que estivesse no campo de batalha.

- SE EU DESCOBRIR QUEM ROUBOU MINHA KILL, TÁ FUDID*.

Nesse momento ela escala o prédio até em baixo, a partir do ponto quebrado pelo gigante de aço. Pularia em seu corpo, para amortecer a queda, já quando tivesse em uma distância que não se ferisse. Continua carregando o corpo até o caminhão enquanto resmunga algumas palavras de ódio por ter perdido tempo com o idiota gélido. Joga o ciborgue na parte de trás e vai até outro corpo que estivesse por ali perto do caminhão, fazendo o mesmo que fez com o anterior.

- Esses filhos da put* pareciam se conhecer muito bem. Ao menos foi o que notei com o que o cara la de cima falou do grandão ali. Não pareciam ser ratos de rua qualquer. Foi uma emboscada planejada. Falava alto para o grupo enquanto entrava novamente na parte de trás do veículo.

Lá, utilizaria sua faca para arrancar as cabeças dos dois mortos e as colocaria bem perto das mercadorias, onde elas estariam longe do perigo de caírem durante a viagem. Com os corpos, começaria procurar em seus bolsos, camisas, coletes, implantes, costas, sapato, qualquer parte do corpo, por qualquer tipo de identificação de quem eram ou quem os contratou. Talvez achasse nomes ou até mesmo marcas famosas.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Dom Maio 14, 2017 12:22 pm

Cessado os tiros, pelo menos por um tempo, Carmen sai de sua proteção, mas não larga a submetralhadora. Ela arregala os olhos ao ver King sair com aquele grandão para fora. "Que tipo de pessoas são essas? - Se pergunta em pensamento.

- Uma emboscada? Será que o contratante tem algo haver com isso?

Carmen vai se aproximar dos outros, se for possível, ficar numa posição em que possa vê-los. Será que tinham enviados eles para um trabalho perdido desde o começo? Eram perguntas que ficariam sem respostas por um tempo. Ela analisa por um momento a garota King, observa Sonic e depois Jin pela janela. Nota algumas coisas estranhas.

- Atenção, tem algo muito estranho aqui! - Avisa para os outros, não deixa de olhar ao redor com receio de haver novos inimigos.

Enquanto King começava a fazer aquelas coisas estranhas de cortar cabeças e verificar corpos, Carmen se aproxima dela com alguns passos, aponta para a perna dela e diz:

- Garota, eu não sei que tipo de seita está fazendo aí, mas tem dois furos aí na sua calça, esses aí que estão quase juntos, não falo da parte que está enfaixada. Vê só o que isso aí...

Depois se vira na direção de Sonic e completa olhando pela janela do caminhão, sem perder a postura:

- Jin, calma aí, vi algo na sua coxa, não é o ferimento da bala tem algo mais.

Então ela nota algo em si e coloca mão no própria pescoço para verificar ao mesmo tempo que diz:

- Tigre, tem algo no seu pescoço... E no meu também... Mas que porcaria é essa?

Carmen vai tentar sentir ou ver o que tem no pescoço.
Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: O Preço

Mensagem por Okley em Ter Maio 16, 2017 1:25 am

Pelo menos agora tinha conseguido e então guarda sua arma novamente, já preparado para o que poderia acontecer novamente um ataque. Começa a andar em volta analisando se continuariam ou seriam só aqueles saqueadores.

Observa que King trazia os corpos mortos para perto do caminhão, em um ritual mórbido, colecionava as cabeças como troféus, deixando passar que era uma psicótica. Assim nem se importou com que ela diz, deixando ela fazer o ritual em paz.

Até que a policial Carmen vem falar da emboscada, fala para ela sobre a noção de combate que tinha conseguido.

- Roubos de cargas não agem desse jeito. Queriam o caminhão ou outro objetivo, em atrasar a chegada ou até mesmo nos matar. Não dá pra confiar muito nesses abutres. - Aproxima de Carmen rapidamente, estava falando dos contratantes, virou para o cara da moto suicida. –  O que leva alguém a um suicido tão banal assim?

Até que a policial dá uma volta e verifica os ferimentos como fosse uma enfermeira, o que Sonic achou estranho sua atitude.

- Só ferimentos de combate, um primeiro socorro já resolve, o que mais séria? –
falava com uma voz bravo por ter sido machucado e teria que recuperar do ferimento.
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 352
Data de inscrição : 02/03/2014

Re: O Preço

Mensagem por isaac-sky em Sex Maio 19, 2017 10:05 pm

Jin respirou como se tivesse segurado o fôlego por horas. O braço parecia mais pesado quando a adrenalina começou a baixar.

O ferimento na perna começava a doer.

Se arrastando para dentro do caminhão pegou a mochila e a abriu.

-É isso o que...acontece quando...o contratante te ferra e teu grupo não se comunica - tentava verificar a extensão do ferimento.

Pegou o kit de primeiro socorros. Com a tesoura cortou a parte da calça onde estava o ferimento.

Ignorava o que faziam fora do caminhão.

Ela verifica se há algo alojado e tenta realizar primeiros-socorros em si mesma.

-Temos que sair daqui. O caminhão já tá vivo de novo
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Dom Maio 21, 2017 3:27 pm

Carmen ouve a resposta de Sonic sobre roubos de carga e responde sobre o questionamento do suicida:

- A vida dele deveria ser banal também. Mas sim, algo suspeito está acontecendo aqui!

Então percebe que ninguém estava dando valor aos seus avisos sobre os ferimentos."Que cabeças duras"- pensou. Ela apalpa o próprio ferimento do pescoço e fica preocupada. Não satisfeita por não ter recebido a atenção devida, vai voltar a insistir:

- Caramba! Eu tô avisando! -
Exclama visivelmente irritada, depoi suspira e continua - Vocês querem parar de fazer sei la a porcaria que estão fazendo e me ouvir! Tem algo sério acontecendo aqui. Não é que eu me importe com a vida de vocês, mas se vocês se importam é melhor me ouvirem.

Se aproxima de Sonic bem perto e fica observando o ferimento dele no pescoço enquanto diz:

- Eu sei que teve uns que foram antigidos, mas não estou falando disso. Vocês estão com ferimentos adicionais, não são esses que estão cuidando, são simples, mas não tão simples. Não foi por tiro daqueles atiradores, é algo diferente! Olha eu sei que pareço louca falando isso, mas parem um segundo e olhem para o corpo de vocês. Será que podem explicar esses ferimentos? Não parecem comuns.

Carmen então acrescenta:

- Vamos, confiram, Tigre você se lembra onde conseguiu esse ferimento no pescoço? Jin, observe sua coxa, tem um ferimento nela perto do tiro que você levou, por acaso sabe a origem disso? Foi de bala ou de corte? E garota vodu, ou de cabelo rosa, sei lá, tem dois furos ai na sua perna, pode explicar onde os conseguiu? Não estou falando do ferimento do estilhado, mas desses dois furos ai, procura que vai achar! Só quero que parem e pensem sobre isso, tem algo mais neles... Será que é algum tipo de chip? Alguém aqui entende de tecnologia médica?

Ela respira fundo preocupada e pergunta ao Sonic:

- Posso dar uma olha no ferimento do seu pescoço? Em mim fica difícil de ver.

Enquanto espera por resposta, Carmen vai usar o infravermelho de seus olhos para observar o corpo do Sonic.
Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: O Preço

Mensagem por Okley em Seg Maio 22, 2017 11:50 am

Se mostrou de pouca indiferença sobre o fato ocorrido ainda tentando assimilar. - Será que foi mandado fazer isso caso não conseguisse a missão. Fanatismo ou controle mental? Ainda poderia acreditar que sobreviveria, o que não aconteceria. – Olhou para Bitch pensado que ela iria mata-lo de qualquer forma. Ate que Carmem se revolta por não darem ouvidos a ela sobre os ferimentos. – Estamos só vendo que iremos fazer a seguir.

Ela se aproxima de Sonic que estranha a atitude da moça, já imaginando que iria fazer. Manteve a postura firme, retribuía o olhar que era fazia, sabia que mulheres depois de cenas como aquela se mostram bastante carente.

- Verdade nem vi ser atingido por outro machucado, o que teria feio isso?... – Fica observando a policial em seu discurso sobre as feridas. – Eu não tenho kit de primeiros socorros para me recuperar. Já me recuperei de situações piores que essa.

Virou o rosto mostrando irritado pela curiosidade da moça em ver o ferimento, por mais que ela insistisse na hipótese. Estava irritado se mante ali, como aceitando a aproximação dela, nunca gostou de exames médicos e alguém analisando seu sistema camuflado ainda não gostava, não sabia o que ela poderia fazer. Olhou de canto para Carmem de canto de olho, enquanto ela tentava verificar seu ferimento.

- Cuidado com você vê. - Disse com um sorriso malicioso, ficou alguns segundos ali para ela verificar, até que tenta se desvincular dela e sair de lá. Por mais que aceitava a aproximação, se mostrou relutante com ela ali. – Vamos ver o que fazer e ir embora logo daqui.

Sonic olha para Carmem novamente, dando um passo para perto dela, depois volta a olhar para o estado do caminhão e as motos.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Seg Maio 22, 2017 12:40 pm

Carmen suspira frente aos comentários de Sonic, inclusive ao mais maldoso. Mas estava insistente em saber o que era isso. Então responde:

- A questão não é se você sabe se recuperar de ferimentos, isso pouco me importa. Mas tem algo, eu sei que já vi isso antes... Alguém aqui que entende medicina? Se sim, pode vir aqui?

Com o consentimento do Sonic, ela vai se aproximar mais e com a mão livre vai afastar a cabeça dele para trás para conseguir ver melhor o ferimento, enquanto faz isso diz em voz baixa:

- Shiuuuu... Quieto... O que será que tem ai dentro? Um rastreador? O que...

Então ela vai tentar abrir a ferida com os dedos para ver se no ferimento tinha alguma estrutura dentro e aproximar o rosto do corte par enxergá-lo melhor.
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 536
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: O Preço

Mensagem por Nimaru Souske em Seg Maio 22, 2017 10:56 pm

King ficara calada enquanto via os outros discutindo sobre o que aquilo significava. Tinha uma tarefa mais importante para fazer. Terminou de decapita-los e guardou as cabeças perto da carga como queria fazer. Voltou para examina-los e achou dados interessantes. Em meio a sua investigação, fora interrompida por vozes alteradas que viam de seus companheiros.

- Vocês deviam calar a boca e prestar atenção no que realmente importa. Deduções infundadas não resolvem merda nenhuma.

Levantou a cabeça para olhar a todos, colocando-a para fora do compartimento de carga.

- Eles não eram humanos, eram merdas de robôs que ainda tinham alguma carne. Cyberpsicóticos. Provavelmente eram controlados por alguma forma de consciência coletiva.

Olhou para a Carmem que parecia estar tendo uma crise histérica em relação aos fatos ocorridos.

- Primeiro, já lhe disse meu nome. Segundo, Se eu quiser eu falo que os consegui com a sua mãe, então não aponte para meus ferimentos como se fosse a única a notar, Policial. Se você fosse boa mesmo, teria notado a diferença entre os implantes do Sonic e dos que nos atacaram e conseguido rastrear onde foram fabricados, ou até mesmo visto que esses idiotas de metal são mais parecidos com engenheiros do que simples brutamontes que buscam força fácil, totalmente o oposto do que se vê nas ruas. Acho que sua incrível habilidade dedutiva já percebeu que não são simples arruaceiros. Vou arrancar o que for que colocaram em mim e esperarei dentro do veículo pra partir, caso a missão de vocês ainda seja a mesma.

Achou irrelevante falar com os demais. Entrou no caminhão, arrastou os corpos para o mesmo canto que as cabeças, sentou-se e começou a cutucar seu próprio ferimento com sua faca.
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 352
Data de inscrição : 02/03/2014

Re: O Preço

Mensagem por isaac-sky em Qua Maio 24, 2017 5:02 pm

"Essas pessoas tem problemas. Uma psicopata, um soldado diretamente saído de sua embalagem de comandos em ação, obviamente uma tira e eu...a nômade que conseguiu a façanha de zoar a perna" Jin pensou em japones enquanto cuidava de seu ferimento.

-Rastreadores? Se for o caso faz sentido mandarem esses peixes pequenos para nós, talvez o plano nunca fosse nos matar e sim nos rastrear- terminou de fechar o curativo e se levantou com cuidado.

-Mesmo assim, a gente tem que se mover. Ou a gente vai esperar os carniceiros? - disse num tom brando.

-E...não vai dar pra eu pilotar, alguém pode dirigir a minha lambreta? Eu fico no caminhão
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Qua Maio 24, 2017 7:24 pm

Carmen para de cutucar o pescoço de Sonic e franze as sobrancelhas quando ouve as reclamações de King, mas ouve a garota até ela terminar de falar. Respira fundo para manter a calma, lidar com gente assim não seria fácil, ela sempre soube disso. E King parecia a mais difícil delas, teria que achar um jeito de conciliar isso, mesmo que fosse fingindo que se importasse.

- Se você não quer dar a mínima para o que falei, problema seu - Responde Carmen - Só não venha reclamar caso ser corpo seja explodido por cutucar o que não deveria. E não, aquilo que disse não era um nome. Faça como quiser, tanto faz. Eu já fiz minha parte.

Então ela se vira para Jin e ouve o que a garota tinha a dizer. Poderia ser rastreadores ou algo pior, isso preocupava Carmen, mas era certo que não poderia ficar ali. Tiraria essa coisa do seu pescoço se soubesse que não iria explodir. Agora desejava ter feito um pouco de medicina. Mas tinha que prosseguir, então comenta:

- Só espero que essas coisas não explodam nossos corpos. Em todo caso, precisamos mesmo seguir em frente. Só tentem deixar alguém vivo na próxima vez, temos que interrogar algum deles.

Carmen vai subir na motocicleta e se preparar para dar a partida;

- Não vou poder dirigir sua lambreta, ou coloca no caminhão se der ou vê quem pode. - Depois lança um olhar para Sonic e diz - Valeu por ter se disponibilizado.
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 536
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: O Preço

Mensagem por Nimaru Souske em Qua Maio 24, 2017 10:17 pm

Entrando no veículo para remover o que fosse que estivesse dentro de sua perna, Bytche ainda escutou as palavras de Carmem. Mesmo se fazendo de durona, sentiu a dor dos comentários. Aquele realmente era seu nome, ao menos o nome qual fora chamado durante toda a vida, e não tinha, nem se quisesse, outra maneira de se apresentar para qualquer pessoa. Apertou a faca com mais força que normalmente faria e não exitara em enfia-la em sua perna para mexer no ferimento, descobrindo um cilindro metálico maciço que não era fácil de se entender. Cuidou do ferimento aberto e o fechou com o que restara de seu kit de primeiro socorros e então se levantou, ao escutar o pedido de Jin.

- Eu vou... não to muito no clima de ir no caminhão.

Nesse momento jogou o cilindro na direção de Carmem, mas com o intuito de acerta-lo ao chão. Olhava para frente, diretamente para Jin. Parecia querer chamar atenção da Policial para o item que ela tanto queria ver.

- Cuidado com os corpos lá dentro, lindinha, ainda nos podem ser úteis.

Continuou andando para moto ignorando qualquer tipo de sinal de que aquele cara que chamavam de sonic fosse pilota-la. Não tinha muita habilidade com o veículo, mas ao menos queria receber um pouco daquele ar enquanto pilotava em alta velocidade... a ferida que recebera de Carmem latejava mais que qualquer perna esmagada por cyberpsicóticos. F.King monta no veículo e aquece seu motor esperando pela partida do resto do grupo.

" Acho que eles ainda não entenderam como é a rua. Ela esmaga, consome e drena qualquer tipo de humanidade da gente... esses merdas não vieram de lá. Eu conheço muito bem a casa onde nasci" Pensou em seu momento de auto-reflexão. Desejava saber de onde vieram aqueles homens.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Qui Maio 25, 2017 1:51 pm

Quando King lança o cilindro em sua direção, Carmen franze as sobrancelhas surpresa. Depois se aproximará do cilindro e o pegará na mão, observando-o atentamente com um sorriso doido. "Essa rata até que esta sendo útil, pode ser uma boa cobaia" - pensa. Depois falará com os outros:

- Olha só, a garota conseguiu tirar sem se explodir. Sugiro fazermos o mesmo, pode ser um rastreador. Alguém tem uma faca para me emprestar?

Carmen lembra que deveria ter trazido uma faca, mas só tinha uma Kendachi. Pelo menos havia trazido um kit de primeiros socorros, que seria bem vindo.

- Alguém quer analisar isso? - Diz segurando o cilindro, se ninguém quiser, ela o jogará fora na rua, mas se puder fazer o teste, ela mesma o analisará.  

Enquanto espera pelo empréstimo, vai pegar seu kit de primeiros socorros, se tiver uma tesoura, ela vai usar a própria tesoura para tentar tirar a coisa do seu pescoço, olhando no retrovisor da própria motocicleta.
Zer0
Samurai Urbano
avatar
Samurai Urbano

Mensagens : 112
Data de inscrição : 13/03/2017

Re: O Preço

Mensagem por Zer0 em Sab Maio 27, 2017 9:05 am

Carmem começa a aproximar a tesoura de seu ferimento, mas então hesita. Uma coisa era tirar os cilindros minúsculos da perna, King havia aberto um rombo no lugar do ferimento e até mesmo Jin tinha feito pequenos cortes controlados para alargar o buraco e retirar o componente. Tais cortes apresentariam um grande risco caso alguma veia ou artéria no pescoço fosse atingida. Tanto ela quanto Sonic precisariam ficar com aquele invasor misterioso em seus corpos por mais algum tempo. 
 
Sobre o cilindro, ninguém poderia afirmar precisamente o que era, a hipótese do rastreador era muito possível, mas por que alguém iria rastreá-los? Não tinham uma rota certa? Será que voltariam a ser atacados? 
 
Emaranhados em dúvidas e questionamentos, o grupo voltou aos seus veículos e seguiram pela estrada em direção ao seu objetivo. 
 
... 
 
A viagem era esquisita. As ruínas e destroços eram diferentes um do outro, porém depois de algum tempo todos pareciam iguais. Avistaram poucas figuras humanas perambulando pelas sombras dos edifícios, mas não foram incomodados por nenhuma delas. 
 
De repente a estrada os levou para perto de um portão de uma mineradora. Entre paliçadas e torres, mais de 20 homens guardavam a posição. Rapidamente algum comandante gritou alguma ordem em japonês e as armas  foram apontadas ao caminhão. 
 
Fuzis de assalto da mais alta qualidade, miras lazer apontadas para as cabeças dos tripulantes, canhões de luz, símbolos de corporações Samurais em qualquer superfície visível. Aquilo era suficiente para intimidar qualquer engraçadinho com pretensões suspeitas, felizmente não era o caso de Sonic, que manteve a calma e se afastou em um ritmo constante dos soldados. 
 
Essas minas eram a razão pela qual as duas megalópoles se mantinham em sua guerra eterna, mas estavam tão afastadas dos dois centros que a sua população até esquecia da existência delas. 
 
... 
 
O Sol já havia partido quando o comboio chegou aos portões do OB-17. O famoso Dezessetão. O grupo parou em frente ao enorme e pesado portão de aço enquanto dois seguranças se aproximavam. Armados de fuzis pesados, os dois foram para a parte de trás do veículo com o objetivo de examinar a carga e encontraram os corpos estocados de King. 
 
Os transportadores congelaram e trancaram a respiração por alguns segundos, até que um dos soldados levantou a mão e gritou: 
 
-Tudo limpo!  
 
Sério? Tudo limpo? Dois corpos e nem uma pergunta? O Dezessetão é realmente tudo que falavam. 
 
A medida que o portão abria vagarosamente, um dos guardas caminhou até a janela do motorista e entregou à Sonic uma espécie de Pen Drive que o Solo prontamente conectou a um plug do caminhão. 
 
Um holograma se abriu mostrando o mapa da cidade, pontos de interesse piscavam em amarelo, são eles: 
 
 
-Rockabilly bar (Os melhores contratos, noites de sono e bebidas estão no Rockabilly!) 
-Implantes e Clínica Geral Winston (Clientes que precisarem de amputação tem desconto em novos membros!) 
-Armas do Nero (QUEIMANDO TUDO!) 
-Clube da Luta (Eu não estou falando nada) 
-Ed "Graxa" Reparos (Metade adiantado) 
-DROGAS! DROGAS! DROGAS! (Chamei sua atenção? Você sabe que precisa de uma dose)


Como é o OB-17?:

Tudo começou quando as duas megalópoles ainda estavam em paz e abriram diversos postos no meio da Faixa para facilitar o comércio. A segurança era garantida por soldados das duas corporações que faziam o patrulhamento. Assim que a guerra estourou, as duas facções se retiraram, abrindo espaço para que criminosos tomassem conta do ponto. 
 
Você pode passar pelo Dezessetão, se hospedar, usufruir de seus serviços e não ser incomodado pela bandidagem. Ninguém é obrigado a ser criminoso, porém, se quiser seguir por esse caminho, portas sempre estarão abertas por aqui. 
 
Os Bullets atualmente são a gangue dominante no local e estabeleceram um pacto de não agressão com os Carbons dentro do complexo, pois tem se mostrado lucrativo para ambos. Essa trégua não impede que diversos tiroteios, geralmente 1 contra 1, estourem na região. 
 
O território é ocupado majoritariamente por prédios pequenos de aproximadamente 6 andares e muitos possuem lojas no térreo. Em qualquer rua larga ou praça são encontradas também barracas e tendas para alojar aqueles que não conseguiram pagar por hospedagem. 
 
Todos os cidadãos andam com suas armas a mostra, o uso de drogas e a prostituição estão sempre em alta. 
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 536
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: O Preço

Mensagem por Nimaru Souske em Sab Maio 27, 2017 6:37 pm

F.King Bytch acelerou a motocicleta e saiu à frente do grupo, mas não tinha a intenção de ser a batedora. O vento em seu rosto tirava qualquer atenção que ela poderia ter em relação à novos inimigos e lhe levava para pensamentos internos. Algumas memórias de sua infância vieram a mente mas não lhe causavam tristeza, apenas aumentavam sua vontade de sair dali, lembrou de momentos antes de entrar pra essa missão e do que pretendia... iria fazer de tudo para subir na vida e a cada vez que repetia isso mentalmente, acelerava ainda mais aquela moto. Não notara nada no caminho, nada além de algumas palavras em um idioma que não conhecia que logo foram esquecidas em meio ao turbilhão de outras palavras que viam a sua cabeça, desde frases encorajadoras até xingamentos que carregavam as mais sujas palavras e expressões que ela conhecia.

Voltou a si apenas quando avistou o portão do OB-17. Parou perto da barreira e poiou a moto com sua perna direita enquanto olhava para o caminhão trazendo a carga.

- CHEGAMOS AO DEZESSETÃO, IDIOTAS. DESACELEREM LOGO.

Após o veículo parar, vê que os seguranças do local foram analisar o que carregavam no veículo e, sabendo do presente que deixara perto do carregamento, deu seu recado para eles.

- Não toquem nos meus bebês, foi muito difícil deixar eles quietinhos durante toda  viagem. Pisca quase como se esperasse uma reação positiva daqueles homens.

Após a revista, foram liberados e King sabia pra onde queria ir ali dentro. Se aproximou com a moto e falou para o grupo.

- Seria bom deixarmos o caminhão no Ed "Graxa" Reparos, não podemos ficar dependendo da boa vontade dessa merda ligar pra podermos continuar a missão. Nesse tempo, cada um faz o que quiser, quem precisar ir ao médico vai, quem precisar descansar descansa, quem quiser dar uma melhorada nas armas fique a vontade e  quem quiser se bater e cheirar um pouco, a casa é sua, apenas estejam de volta quando o caminhão estiver pronto. E ai, o que vai ser ? Se forem ficar e quiserem tentar ganhar alguma informação sobre esses caras que nos atacaram e esses chips antes de seguir viagem, tenho alguns contatos que podem ajudar.

Ela perguntava pois se não fosse aceita a sua ideia, iriam seguir viagem e ela n queria ser abandonada naquele local sem receber o prêmio da missão. Teria que ver também a devolução da moto para Jin. Odiava depender daqueles merdas pra poder fazer o que queria.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Sab Maio 27, 2017 7:59 pm

Carmen faz uma careta quando chegam ao famoso Dezessetão. Estava incomodada com aquele cilindro em seu pescoço, incomodada com seus parceiros de vida questionável e agora incomodada por estar entrando em um lugar mais sujo que um banheiro químico. "Drogados, criminosos, prostitutas... O que não faço pelo meu trabalho?" - Pensava com uma expressão nauseada. Se pudesse, se clonaria em cem para prender todos aqueles ratos. Por isso trabalhava, para tentar limpar a sujeira do mundo. Para piorar a tal garota de nome indecente tinha escondido cadáveres no caminhão. Será que eles não conhecem o mínimo de higiene? - Pensava dando suspiros tediosos.

- Eu não sou surda! - Gritou para King após o grito dela para desacelerar, depois murmura baixo em espanhol - Esto es tan estresante...

Ela para a moto perto do caminho e espera a revista, era surpreendente e chocante o tipo de censura que eles usavam, Carmem poderia imaginar que tipo de coisas encontraria lá dentro com guardas assim. Todos criminosos - pensou. Então King começava a dar suas opiniões, parecia entender do lugar, o que não surpreendia Carmen, já que ela parecia bem do tipo deles. Ela não queria nenhum deles mexendo em seu pescoço, mas sabia da necessidade de tirar essa coisa o mais rápido possível. "Que droga, sério que vou ter que confiar minha vida nos médicos daqui?" - Reclamava em pensamento. Então depois de fazer uma expressão de poucos amigos, Carmen responde:

- Seria uma boa investigar o que aconteceu, mas eu e o Tigre ali precisamos tirar essas coisas dos nossos pescoços. Já que parece conhecer o lugar, conhece algum médico com senso de higiene que possa tirar isso de nós?

Era visível que ela não estava gostando da viagem. Então sobre os corpos, ela pergunta:

- Por quanto tempo vai guardar os seus... bebês? Vai usar eles para conseguir informação ou é algum vodu?
Okley
Cavaleiro Jedi
avatar
Cavaleiro Jedi

Mensagens : 226
Data de inscrição : 04/11/2016

Re: O Preço

Mensagem por Okley em Dom Maio 28, 2017 8:13 am

Olhava para a policial até um tanto hipnotizado, rindo de canto de boca com a cena montada ali. Até que as mulheres não param de falar como uma vitrola riscada, se encosta no caminhão a discussão que não levaria a solução nenhuma. De vez enquanto a policial vinha cutucar o que tinha no pescoço, ele não fazia nada somente a encarava como uma malicia.

Arregalou os olhos quando Bytch, falou seu nome, quando decidiu abrir a boca finalmente, acabou revelando que não deveria. Ria de si mesmo em uma conversa de mulheres assim ela deixou escapar que os dois se conheciam de outros carnavais imagina se fosse em tortura estaria em perigo.

Até que finalmente cada uma vai para um canto e finalmente poderia voltar a dirigir seu caminhão até um lugar onde poderia arrumar os estragos causados na batalha. Considerou a viajem tranquila, sem se importar com as ruinas, enquanto a sua frente no portão de uma mineradora. De certa forma respira aliviado por ter chegado sem maiores danos, porém teria que conseguir passar sem chamar a atenção.

A Bytch por algum motivo desconhecido até inconsequente, toma a frente e sai gritando sem se importar com nada. Sonic desce do caminhão balançando negativamente para do que fazia aguarda para desconsiderar a atitude da moça, em querer enfrentar de frente o pessoal, se colocando de líder do grupo.

Já conhecia como procediam então evitou qualquer coisa que os ameavas, conhecia as técnicas japonesas e o que fariam nesse momento, mas claro ainda sim poderia ter supressas, um mal humor repentino ou desconfiança abateriam eles rapidamente, então seguiu todas os modos esperado para evitar inimizade com eles.

Engoliu seco saliva enquanto revistavam o caminhão, torcia para não ter nada de novidades nessa hora. Respirou aliviado quando permitiram a passagem deles pelo local. Esticou a mão assim que saia para pegar o Pen Drive que continha todas as informações.

Assim que entraram no local, Sonic a todo momento estava com sua arma pronta ao lado para qualquer imprevisto, a Bytch desceu já chegou falando um monte de baboseira que Sonic obviamente não estava disposto a ouvir.

- Oh vadia!
(não estava se referindo ao nome dela) Cala tua boca! Você não é a líder aqui!

Foi um tanto rude com ela, se ela não se importava com eles, ele também não se importava com ela a menos. Tinha um comportamento muito psicótico e agora querendo ser a líder do grupo, tal comportamento inconsequente colocaria todos em perigo rapidamente.

Virou para a policial, mostra a chave do caminhão e segurando novamente. - Vamos lá então, você parece mais sensata. Eu sei onde encontrar o que precisamos e como fazer por aqui.

Não deu mais informações apenas voltou para o caminhão, iria conserta – ló e depois ver os tais ferimentos, teria que toda a manha para poder usar com esses japoneses. Olhou para trás para ver quem mais o acompanharia.
Gakky
Mestre Jedi
avatar
Mestre Jedi

Mensagens : 1256
Data de inscrição : 08/07/2015

Re: O Preço

Mensagem por Gakky em Dom Maio 28, 2017 2:32 pm

Então Sonic também começava a ficar estressado, notou Carmen. Depois ele dirigiu a palavra a ela, o que a deixou um pouco surpresa. "Até que esse ciborgue sabe escolher bem suas amizades, pelo menos dessa vez, geralmente homens não costumam pensar tão bem..." - Pensou. Mas eles tinham um trabalho a ser feito, e ela uma investigação para cumprir. Ficar brigando não iria levar a nada, mas deveria ser o que esses ratos gostavam de fazer. Não eram muito práticos, notou. Ela deveria escolher em quem confiaria, pelo menos para lhe descobrir um médico. Não costumava confiar em homens, achava as mulheres muito mais detalhistas e organizadas, porém acreditava também que as mulheres eram boas principalmente em se vingar, e se queriam fazer algum crime, sempre faziam muito bem feito. Chefes femininas eram sempre mais difíceis de descobrir, já os homens costumavam deixar rastro, pelo menos a maioria. Era nisso que Carmen acreditava. Então talvez Sonic fosse o mais sincero, só talvez, era acreditar em um solo ou na doida sem nome? Talvez a resposta estivesse muita clara. "Pelo menos ele deixou que eu mexesse em seu pescoço, foi meio arriscado, eu poderia ter decapitado ele se eu quisesse. Então acho que devo tentar acreditar dessa vez, ele não iria achar alguém para mexer no pescoço dele que não fosse confiável, estamos no mesmo barco" - pensou Carmen.

- Mas porque estão se xingando? Não temos um trabalho? - Reclamou Carmen tentando por ordem -  Vamos ter foco e profissionalismo aqui, certo? E garota -Se vira para King - Pode tentar não nos xingar enquanto trabalha? Isso é irritante. Também não quero ninguém se drogando, temos que fazer um trabalho aqui! Vamos ter ordem, ok? -Depois se vira para Sonic e diz-Ao menos alguém aqui sabe classificar bem as pessoas. Vou com você Tigre, até porque, estamos na mesma situação.

Ela então olha ao redor para o seu grupo e completa:

- Só não nos xingue de vadia, ok? Por que os homens adoram falar isso? É sempre o mesmo xingamento, não entendo, que falta de criatividade. Você não vê mulheres chamando vocês de vadios, e se notar está em minoria aqui, chamar alguma de nós assim não é muito sensato. Vamos ser práticos. Vocês sabem consertar o caminhão, ou vão levar em algum lugar? Isso será antes ou depois de irmos tirar essas coisas de nós, Tigre?

Carmen também olha para Jin, queria saber o pronunciamento dela.
Nimaru Souske
Mutante
avatar
Mutante

Mensagens : 536
Data de inscrição : 03/10/2016

Re: O Preço

Mensagem por Nimaru Souske em Dom Maio 28, 2017 3:18 pm

- Eu já falei e parece que esse cara ai já tem o mapa com a localização dele, o nome é "Implantes e Clínica Geral Winston", o mais conceituado e impreciso da região. Sorriu como se tivesse falado algo muito hilário. E sobre os corpos, Policial, acho que você tem que aprender um pouco mais sobre as ruas que tenta limpar... elas cheiram a morte, mas por outro lado, a temem. Mostre-lhes a morte que eles a temerão. Parecia ter entrado em uma espécie de transe ao falar aquelas coisas, pois em seus pensamentos passavam imagens de carnificinas que enfrentara quando criança e massacres que ela mesmo participou para ganhar seu lugar nas ruas. Lembranças que confirmavam aquilo que dizia. Mas também planejo pegar algumas informações, só levar os cilindros e os corpos para meus contados aqui dentro que nós vamos descobrir o que está ocorrendo...

De repente fora interrompido por seu nome. Seus olhos pareciam ter perdido o foco e deixaram de olhar para Carmem como estavam durante a explicação. Várias vozes repetiram o mesmo nome em sua mente, como se todo seu passado tivesse surgido em sua frente, gritando aquele xingamento que escolhera como nome próprio. Desceu da moto e caminhou lentamente em direção a Sonic. Olhos nos olhos do homem. Parecia calma de mais. Passou direto por ele e foi até o compartimento de carga do caminhão. Pegou os corpos e desceu, parando de frente à Carmem.

- Gostaria que me devolvesse o cilindro qual lhe dei, vou precisar dele. Por favor. Era educação de mais para ela. Algo definitivamente não estava normal.

Pegando ou não o Cilindro e ignorando qualquer outra interação daquele grupo, King rumaria até o local onde ocorriam o tráfico de drogas ali, pois sabia que era o local onde poderia obter as melhores informações. Antes de sair, falou.

- Tá ai sua moto. Falou pra Jin sem olhar pra trás. Boa sorte pra vocês.

Pelos rumos que aquela missão se sucedia, Bytch sabia que não seria um contrato normal e então preferiu averiguar quem a atacou e planejar um ataque de volta com a ajuda de seus contatos e não com mais idiotas que jogavam fora o que ela sugerira.

" Cada um encara o abismo do modo quer. Cada um se mata do modo que escolher" Pensou, reafirmando a filosofia que guiava sua jornada.

Afinal, o que é a vida se não um processo lento e doloroso de suicídio ?
isaac-sky
Tecnocrata
avatar
Tecnocrata

Mensagens : 352
Data de inscrição : 02/03/2014

Re: O Preço

Mensagem por isaac-sky em Qui Jun 01, 2017 12:33 pm

Esse grupo parecia gostar bastante de discutir entre si. Mas Jin era do tipo que preferia deixar alguém falando do que perder tempo discutindo algo que já sabia: o que quer que fossem os cilindros não havia nada que pudessem fazer naquela hora.

Enquanto discutiam pegou seu toca fitas e os fones de ouvido. Acenou positivamente com a cabeça para Bytch quando ela concordou em levar sua moto.

Era estranho viajar no caminhão, principalmente com a perna dolorida.



Jin fechou os olhos enquanto ouvia. Eram momentos assim que mais desejava não viver nessa época.

"Tsc...samurais"" eram recebidos pelos japoneses. Ela compreendia cada palavra deles mas se fingia de surda, não interagindo com nenhum dos samurais. Se concentrava para não demonstrar desprezo ou ódio através de seu rosto.

Já no OB-17 o grupo voltava a sua atividade favorita: discutir e discutir.
Jin tirou os fones de ouvido, parecia que queriam sua opinião dessa vez.

-Eu tenho que passar no médico pra dar uma olhada na minha perna. Vou com vocês - disse apontando para Carmen e Sonic - Valeu por levar a moto. Vou deixar ela com o caminhão - disse a Bytch.

Mancando, acompanharia a policial e o soldado.

Num momento que estiver mais próxima de Carmen dirá em voz baixa somente para ela ouvir:
-Quer um conselho de colega de trabalho? Você tem que fingir melhor, pelo menos não deixar tão na cara - alertava a policial. Por bondade ou receio de acabar sendo prejudicada? Nem Jin sabia -Tá bem na cara que você é tira, ou algo do tipo. Aqui nesse lugar os caras mastigam gente como você no café da manhã. Dá uma cuspida no chão, fala uns palavrões e tenta parecer como alguém daqui - sorriu brevemente, disfarçando caso a reação dela não fosse boa.

Continuou andando a caminho da clínica.
-Um drink até que caia bem depois...é num bar que a informação corre - comentou com os dois.
Conteúdo patrocinado


Re: O Preço

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Seg Jun 26, 2017 2:09 pm