Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Drakon_Drakonis
    Neófito
    Drakon_Drakonis
    Neófito

    Mensagens : 29
    Reputação : 9

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Drakon_Drakonis Qua Dez 20, 2023 8:15 pm

    A pequena ronrona com a erva do humano e parece estar se sentindo bem, apesar de não falar.

    Barahir escreveu:- Sou Barahir. Presumo que tenham vindo de lugares distantes, talvez das praias ao sul? Quais noticias podem me dar de lá?

    "O sul está um pouco mais quente na costa, mas ainda congelado. Mas os conflitos não cessam, o que é bom para os negócios de aventureiros. Não faz tempo os humanos de Porto da Cova tiveram seus suprimentos de madeira comprometidos por uma investida dos Trolls da montanha do Clã de Everest, O Garra Negra. E acharam que seria uma boa idéia invadir os mangues das Víboras Azuis para reabastecer. Má idéia, muito má... eles deviam saber que o problema não é quando você encontra uma tribo de norffs, mas quando a tribo encontra você..."

    Enquanto contava as parcas notícias, a goblina mágica se aproxima com um apelo, porém uma apelo resoluto, e não de súplica.

    Bavalkhia escreveu:"Sou Bavalkhia, da renomada família Pesujo, proprietária da casa de apostas 'Aposta Certa' em Irthí, a cerca de cinquenta quilômetros ao norte. Maga e Sacerdotisa de Mercius. Cheguei a esta cidade em busca desesperada de meu marido e filho, desaparecidos há pelo menos um mês. A insurgência dos anões afeta drasticamente nossa realidade, devastando não somente a nossa cidade, mas o mundo como um todo.

    Minha casa de apostas já não existe mais, sucumbiu diante do avanço implacável dos anões, cujas ações eclipsaram as investidas dos Ugroshs. Temo pela segurança deles. Meu marido e filho decidiram investigar essa crise. Sinceramente, espero que não tenham se envolvido em situações perigosas... Estou em busca de indivíduos habilidosos e corajosos para me auxiliar nessa jornada. Não pretendo ficar à espera ou apenas pagar por ajuda ao retornar. Partirei com o grupo e lutarei, se necessário, lado a lado."

    *Hmmm, encontrar alguns goblins perdidos parece mais fácil que enfrentar exércitos... mas preciso pensar no quê fazer agora com essa gatinha...*

    Olho para Tiana confortável próxima a lareira e penso se teriam sido os anões que Bavalkhia mencionou os responsáveis pelo ataque à caravana dos ferlix. Ao mesmo tempo um dos funcionários da taverna passa por nós e lhe peço:

    "Vocês por acaso servem javali por aqui? Toda essa correria e frio me deixaram com fome"

    O pequeno homem parece se encolher um pouco antes de negar o pedido do crok, talvez achando que fosse servir de substituto.

    "N-não senhor, a caça não foi das melhores nos últimos dias e estamos cheios como pode ver. Talvez um ensopado?"

    "Entendo, traga-me então o caldeirão!"

    O servente arregala os olhos, mas se retira rapidamente acenando e sussurando algo aparentemente em concordância. Retomo a atenção à mesa e à goblina.

    "Vim pra cá a procura de trabalho e parece que encontrei, quais seriam seus termos de pagamento senhora Bavalkhia?" e então me lembro

    Estou tão acostumado a ficar sozinho que esqueci de perguntar se vocês queriam algo pra comer!:
    gaijin386
    Antediluviano
    gaijin386
    Antediluviano

    Mensagens : 3719
    Reputação : 15

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por gaijin386 Qua Dez 20, 2023 11:29 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 EImRYxTyDLETnBrG2rCG--3--w3sdh

    Air John de Ouro-Rubro, parecer relaxar e sentir que o cansaço ser removido de seus ombros a emergência havia terminado e ninguém mais estava em perigo, mas agora havia muitas curiosidades nesta taverna, pois além do croc e da criança ferlix havia a goblin e isso sim era uma seleção peculiar de seres em um mesmo lugar. Ele recupera o livro e fala com o taverneiro. "Creio que tivemos agitação o suficiente por um dia. Vou querer um belo ensopado e uma cerveja." Após isso ele se dirige a lareira e vê que a criança ferlix definitivamente estava fora de perigo...

    "Pequenina Tiana foi uma bela enrascada que você se meteu. Foi por um triz, mas enfim tudo deu certo. Quando o Drakon entrou pela porta quase pensei o pior."

    Julguei precipitadamente. Não farei novamente. pensa ele e se dirige para onde estão o croc, a goblin e o ranger

    “Agora que essa confusão acabou posso remediar minha falta de polidez e me apresentar devidamente para trocarmos algumas palavras.” disse Sir John. Ele ainda de pé continua "Meu nome é Sir John de Ouro-Rubro e agradeço o auxilio de todos, pois conseguimos evitar uma trágedia aqui."

    Ele olha para a Bavalkhia e diz “Manifesta as dádivas divinas e foi em boa hora. Pelo que ouvi e não querendo ser enxerido alguém desapareceu?”

    "As novidades do sul não são boas como eu esperava... Achava que os conflitos havia se abrandado, mas pelo que você diz, Drakon as coisas estão é piorando.” disse Sir John olhando o grande croc.  

    "E eu a pensar que dois nobres querendo se casar era o maior dos problemas..." Diz Sir John.

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Forest10

    "There's Something Out There Waiting For Us, And It Ain't No Man."
    Sandinus
    Mefistófeles, Lorde do Oitavo
    Sandinus
    Mefistófeles, Lorde do Oitavo

    Mensagens : 12467
    Reputação : 120
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/111.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Sandinus Qui Dez 21, 2023 1:05 pm

    "Vim pra cá a procura de trabalho e parece que encontrei, quais seriam seus termos de pagamento senhora Bavalkhia?"

    "-Planejo dividir igualmente tudo que encontrarmos no caminho enquanto buscamos por eles, e ainda oferecerei um bônus em ouro para cada um de vocês, já que estarei pessoalmente envolvido e assumindo os riscos. Serão mais 100 moedas de ouro para cada um."

    Ele olha para a Bavalkhia e diz “Manifesta as dádivas divinas e foi em boa hora. Pelo que ouvi e não querendo ser enxerido alguém desapareceu?”

    "Meu marido e filho. Sumiram há cerca de um mês." Ela suspira pesadamente, como se o peso da ausência fosse quase tangível. "Artrocos, meu esposo, é um goblin encantador. Seus olhos capturam a luz do sol, sua pele é suave como folhas de primavera."Ela se recosta ligeiramente, perdendo-se por um momento em memórias afetuosas. "Ele costuma se vestir com uma túnica verde-esmeralda, um colete vermelho vibrante. Seu cabelo é um emaranhado encantador."

    "Artrocos é eloquente, capaz de encantar com suas palavras e cativar com suas canções. Mas..." Seu semblante se endurece levemente, um lampejo de preocupação. "Sua emoção muitas vezes supera a razão."

    Passando para Draghul, seu filho, Bavalkhia muda seu tom, tornando-se mais solene. "Draghul é alto para os padrões dos goblins, robusto e marcado por cicatrizes. Seus olhos são intensos, cheios de determinação." Ela para um momento, como se estivesse repassando mentalmente cada detalhe do filho. "Ele se veste com uma armadura feita sob medida, uma capa escura costurada com cuidado." Um brilho de orgulho atravessa seu olhar. "Seu machado de batalha, símbolo de sua proteção e bravura, agora desaparecido."

    Bavalkhia respira fundo, um suspiro pesado carregado de preocupação e uma ponta de esperança. As palavras fluem de seus lábios, carregadas de emoções enquanto ela relata a ausência de seus entes queridos. Mas logo ela percebe que estava saindo de sua postura carrancuda e volta para ela encarando os demais.
    Drakon_Drakonis
    Neófito
    Drakon_Drakonis
    Neófito

    Mensagens : 29
    Reputação : 9

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Drakon_Drakonis Seg Dez 25, 2023 10:28 pm

    O Paladino que nos ajudara se junta a nós e a goblina dá os termos de sua empreitada.

    Bavalkhia escreveu:"-Planejo dividir igualmente tudo que encontrarmos no caminho enquanto buscamos por eles, e ainda oferecerei um bônus em ouro para cada um de vocês, já que estarei pessoalmente envolvido e assumindo os riscos. Serão mais 100 moedas de ouro para cada um."

    *São bons termos para uma empreitada honesta.*

    "Pode contar comigo senhora, se quiser podemos partir em minha carroça assim que a tempestade passar e o novo dia chegar"

    Enquanto conversamos o homenzinho retorna junto a outro dos funcionários com o caldeirão de ensopado e o coloca a minha frente.

    Obrigado!:

    A sra Bavalkhia conta sobre seu filho e marido desaparecidos, respira fundo, um suspiro pesado carregado de preocupação e uma ponta de esperança. As palavras fluem de seus lábios, carregadas de emoções enquanto ela relata a ausência de seus entes queridos. Mas logo ela percebe que estava saindo de sua postura carrancuda e volta para ela encarando os demais.

    *Essa daí é dura de roer...feito aço...*

    Após o relato de Bavalkhia é a vez do Paladino se exasperar

    John de Ouro Rubro escreveu:"As novidades do sul não são boas como eu esperava... Achava que os conflitos haviam se abrandado, mas pelo que você diz Drakon, as coisas estão é piorando.” disse Sir John olhando o grande croc.  

    "E eu a pensar que dois nobres querendo se casar era o maior dos problemas..." Diz Sir John.

    "Desde Graak e Glacius o Primórdio e o Continente azul são o que são... ou, desde os Dragões e os Elfos, se preferir..." digo dando ombros.
    "Agora, não me diga que os humanos aqui estão brigando pra decidir quem se casa com uma princesa?" digo com sarcasmo. Porém sou surpreendido com a confirmação e explicação do causo enfrentado por ele.

    É o quê?:

    "Sempre existe a possibilidade de um duelo até a morte... mas acho que você preferiria algum tipo de desafio mais... valoroso... quem sabe a Paz em Porto Cova? Ou então aquele que encontrar os desaparecidos de Bavalkhia?" digo com um tom humoroso.
    Xafic Zahi
    Adepto da Virtualidade
    Xafic Zahi
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1666
    Reputação : 136
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Xafic Zahi Sex Dez 29, 2023 7:56 am

    Barahir Luarvasto

    Raça:Humano
    Classe:Ranger
    HP: 77/77  CA:16  


    O ensopado mencionado por John aguou a boca do caçador, e ele decidiu juntar-se à refeição. Imaginando que o taverneiro ainda precisava descansar, ele próprio se serviu e deixou a moeda de pagamento em cima do balcão.

    - Um ciclo lunar é tempo... - Barahir sussurou em relação ao tempo que os familiares de Bavalkhia estavam desaparecidos. Ele tinha se sentado em uma das mesas e esperava a colherada de sopa esfriar. Tinha consigo um segundo prato, que colocou no chão e fez um muxixo com a boca, chamando seu lobo para se alimentar. Depois, prosseguiu com a conversa, com um semblante sério - Nesse tempo, onde é que já chegou a procurar? Acha que os anões estão metidos nisso?

    "Sempre existe a possibilidade de um duelo até a morte... mas acho que você preferiria algum tipo de desafio mais... valoroso... quem sabe a Paz em Porto Cova? Ou então aquele que encontrar os desaparecidos de Bavalkhia?" digo com um tom humoroso.

    - Não concorda comigo que é a noiva quem deve decidir? - A simplicidade no seu raciocínio ainda não o permitia perceber a politicagem envolvida no matrimônio.

    Emme


    gaijin386
    Antediluviano
    gaijin386
    Antediluviano

    Mensagens : 3719
    Reputação : 15

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por gaijin386 Sex Dez 29, 2023 3:36 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 EImRYxTyDLETnBrG2rCG--3--w3sdh

    Air John de Ouro-Rubro se serve do ensopado e bem a um clima frio uma comida quente sempre é um bom remédio via o taverneiro rindo jovialmente e a pequena criança do povo gato perto da lareira, mas voltou a realidade ao ouvir as perguntas sobre o casamento em que ele teria que julgar quem devia ser o noivo.

    Duelos, missões perigosas e a noiva escolher são coisas que passaram na cabeça de de Sir John, mas isso era algo que ele não poderia decidir sem antes ter falado com o regente e seus dois filhos. O paladino errante ponderou por um breve momento e respondeu:


    Eu nem queria fazer isso, mas o parágrafo quinto do artigo 1523 dizia que, em havendo qualquer situação não prevista pelo Código, a questão seria dirimida por um Clérigo ou Paladino de Petrus ou, na sua falta, por um Paladino.

    "Não é tão simples assim esse casamento pode decidir o destino de Mistheaven a paz ou uma guerra. Veja bem o regente Zael e o líder elfo chegaram nesse casamento para selar a paz, mas como nem tudo são flores um dos filhos sente-se preterido com a escolha do irmão para esta união. Pelos boatos que escutei Alina, a filha do Senhor das Folhas possui de fato uma beleza inigualável e eu não creio que Zahra o irmão preterido não esteja sendo movido pela inveja, mas por outros motivos que ainda pretendo descobrir."

    Sir John para por um momento para beber um gole da cerveja e prossegue

    "O tal Zahra pelo que contam é um brutamontes brigão e no momento lidera a milicia da cidade o que pode gerar um estopim caso ele não seja escolhido. Já Zoros o escolhido do regente parece ser o ideal... Letrado e viajado (caravana de Irvine) tendo passado um tempo com a Ordem de Petrus no continente Amarelo. Só escuto coisas boas a respeito dele e seu temperamento. Novamente tenho que ve-lo para crer."

    Apontou o pesado volume sob o balcão.

    "Eu nem queria fazer isso, mas o parágrafo quinto do artigo 1523 dizia que, em havendo qualquer situação não prevista pelo Código, a questão seria então resolvida por um Clérigo ou Paladino de Petrus ou, na sua falta, por um Paladino que no caso sou eu."

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Forest10

    "There's Something Out There Waiting For Us, And It Ain't No Man."
    Xafic Zahi
    Adepto da Virtualidade
    Xafic Zahi
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1666
    Reputação : 136
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Xafic Zahi Sex Dez 29, 2023 4:41 pm

    Barahir Luarvasto

    Raça:Humano
    Classe:Ranger
    HP: 77/77  CA:16  


    Barahir, embora saboreasse com ânimo o ensopado, ouvia atentamente a explicação do paladino.

    - Se a escolha está nas suas mãos, a solução parece mais clara que o luar numa noite serena.

    Ele levantou a colher para o ar, analisando-a como se buscasse sinais em seus respingos.

    - Se nem o regente nem o líder elfo determinaram de antemão qual dos irmãos levará a noiva, é porque as diferenças entre eles não devem ser relevantes ao ponto de influenciar no futuro dos dois reinos.

    O patrulheiro voltou a colher para o ensopado e comeu algumas vezes.

    - Pergunte à noiva qual dos pretendentes ela prefere e escolha aquele que ela decidir.

    Emme


    Sandinus
    Mefistófeles, Lorde do Oitavo
    Sandinus
    Mefistófeles, Lorde do Oitavo

    Mensagens : 12467
    Reputação : 120
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/111.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Sandinus Ter Jan 02, 2024 9:21 pm

    - Um ciclo lunar é tempo...Nesse tempo, onde é que já chegou a procurar? Acha que os anões estão metidos nisso?

    Ponderativa, Bavalkhia respondeu com um toque de reflexão:

    -Pessoalmente, minha intervenção foi escassa. Recorri a grupos de caçadores, assim como vós, para localizá-los, mas nem mesmo eles retornaram. As circunstâncias tornaram-se, de fato, bastante sérias e perigosas. No entanto, ao estar familiarizada com esta região, adentrei-a com uma sensação de segurança relativa.

    A Goblin, ao mesmo tempo que respondia, revelava sua curiosidade acerca da narrativa matrimonial.

    -Um duelo até a morte? Um comportamento típico de bárbaros destituídos de razão. Afinal, existem poucos que ponderam... Apesar de um ser um brutamontes e o outro possuir uma eloquência notável, concordo plenamente que a noiva deveria ter voz ativa. Por vezes, algumas mulheres preferem a rusticidade à cultura, e vice-versa. Qual seria a perspectiva dela sobre ambos? Acaso já manifestou alguma inclinação? Contudo, um embate seria manifestamente injusto para o filho mais erudito... Quais são suas ponderações a respeito, Sir John?

    Encerrava ela curiosa.
    gaijin386
    Antediluviano
    gaijin386
    Antediluviano

    Mensagens : 3719
    Reputação : 15

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por gaijin386 Ter Jan 02, 2024 9:50 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 EImRYxTyDLETnBrG2rCG--3--w3sdh

    O paladino errante franze o cenho em um momento pensativo para então responder

    "Amanhã terei que falar tanto com o regente quanto os filhos para formar minhas próprias conclusões, pois tudo que até agora sei são fatos ditos por terceiros ."

    Sir John deixa o caneco de lado e prossegue

    "Num cenário ideal as pessoas poderiam escolher seus pretendentes, mas no jogo da corte e dos nobres acordos são fechados por alianças. Quanto a escolha em aberto o regente indicou o filho letrado Zoros como noivo de Alina só que digamos que Zahra tem a milicia e ele não está contente em ter sido preterido. O dilema do regente nesse momento deve ser a respeito da milicia interferir e causar um tumulto aqui." diz quando escutou Barahir.

    "Creio que se dependesse dela não haveria casamento com nenhum dos dois, mas falar com ela também pode útil. O povo dos elfos pode ser temperamental e imprevisível." Responde para Bavalkhia e lembrou-se de seus amigos e da bela finada Whisper e de como foi tolo em não ter conversado mais com ela como gostaria.  

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Forest10

    "There's Something Out There Waiting For Us, And It Ain't No Man."
    Drakon_Drakonis
    Neófito
    Drakon_Drakonis
    Neófito

    Mensagens : 29
    Reputação : 9

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Drakon_Drakonis Sex Jan 05, 2024 7:47 pm

    "É claro que podemos perguntar pra garota, e seria viável... mas onde ficam a graça e a diversão aí? Onde fica o espetáculo da disputa para o povo?" digo apontando a colher a eles enquanto como. "Isso também é uma maneira do povo apoiar quem quer que saia vencedor, após uma disputa justa, vocês falam que o duelo só seria justo para um deles, mas selar Paz em Porto Cova não seria justo para o outro..." levanto o caldeirão à boca bebendo o resto.

    "Ei rapaz!! Traga um pouco de carne, sim?" digo acenando ao taverneiro que após algum tempo retorna com algumas aves assadas.

    "Concordo que seja sensato falar com o ancião e saber suas preocupações, e também as da noiva... mas não esqueçam do povo..."


    *Passarinhos... seria bom se tivessem emas como no continente vermelho...*


    *Acho que vou dormir com fome hoje...*:
    Mandhros
    Tecnocrata
    Mandhros
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 62

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Mandhros Seg Jan 08, 2024 1:02 pm

    @Nightingale

    Talvez a reação fria e calculada de Ventress fosse o suficiente para intrigar qualquer outra criatura inteligente, mas não aquele goblin.

    A gargalhada se dissolve, lentamente, em um sorriso cheio de dentes amarelos e podres, mas afiados como os de um tubarão. O monstro se abaixa e, sem tirar os olhos vermelhos e brilhantes e Ventress, começa a arranhar o assoalho com as unhas.


    - Eh amigo meu. Vai me dizer onde posso encontra-lo?

    Aquele som de madeira arranhando – algo como o arranhar de unhas contra um quadro negro – somado àquele risinho cínico e à voz esganiçada do goblin fazem os pêlos da nuca da Ventress se eriçarem.


    - Que pena...


    Ele faz uma pausa, sorrindo um sorriso maligno.


    - Elhe deve eshtar eshpalhado por aí...


    E, novamente, a criatura gargalha, seu riso zombeteiro misturado ao som crescente e irritante de madeira arranhada e, depois, ao som de vidro quebrando.

    As janelas, os vidros das portas dos armários, e todos os outros itens mais frágeis daquele lugar maldito estouram, fazendo voar cacos cortantes por todo lado.

    Instintivamente, a dhampir protege o rosto com as mãos e, então, toda aquela orquestra de horror, subitamente, cessa.

    Quando Ventress descobre o rosto, não havia mais goblin. Apenas dois olhos grandes, brilhantes e vermelhos e um sorriso cheio de dentes amarelos e podres ainda estavam no ponto onde estava a criatura, e se dissolviam no ar.

    Sob eles, o assoalho arranhado e lascado provava que a drow não tinha batido com a cabeça e imaginado aquilo tudo.

    O lugar, agora, estava silencioso como a morte.

    Uma sala em ruínas e um rastro de sangue, era tudo o que havia para a patrulheira-ladina explorar.
    Spoiler:
    Off: @Nightingale, se você quiser explorar o local, por favor, role, sucessivamente, Investigação e Percepção. A CD, para ambos os testes, é 20. Se quiser seguir o rastro de sangue, ou realizar qualquer outra ação, por favor, descreva suas intenções.

    Estou te devendo um post além do resto do grupo.

    **********
    @Drakon_Drakonis, @Sandinus, @gaijin386, @Xafic Zahi

    Off: Pessoal, a interação de vocês na taverna foi sublime!! Juro que quase abdiquei de postar a continuação só para que vocês pudessem continuar. Podem ter certeza que vou deixar mais espaços assim livres, no futuro!

    On:

    A ordem de Rikaard, o taverneiro e estalajadeiro, tinha sido cumprida à risca pelos funcionários.

    Em que pese a caça não tivesse sido das melhores, a sopa estava boa, gostosa e bem preparada. Também estava bem quente, o que era um alívio naquele tempo em que a neve castigava os viajantes.

    Próximo da lareira, a pequena Tiana se alimentava bem e se aquecia, recuperada de seu quase congelamento. Ela sorri e ronrona para Drakon, Sir John e Barahir cada vez que eles se aproximavam, em sinal de afeto e agradecimento.

    De fato, nem parecia a gatinha que fora encontrada, escondida, dentro do que tinha restado de uma caravana destruída.

    Em pouco tempo, a criança é recolhida a um dos quartos por uma das funcionárias. A ferlix estava cansada, e uma cama quente e uma boa noite de sono, certamente, fariam bem a ela.

    Noutro giro, alimentar Drakon era, de fato, uma tarefa árdua. A sopa era servida em rodadas, e parecia que o Croc não se saciava nunca!

    Barahir, por sua vez, cuidava de alimentar tanto a si quanto ao seu lobo, que também apreciava o ensopado quente tanto quanto os heróis.

    Já Bavalkhia compartilhava sua história e preocupações com os outros aventureiros, certa de que obteria ajuda.

    Sir John, por fim, embora apreciasse a demanda da goblina, também tinha que dirimir um sério problema, e definir o rumo da Majestosa Misthaven ao escolher o pretendente ideal para a filha do Senhor das Folhas.

    O grupo, reunido em torno de fogo quente e boa comida, debateu longamente, até que, finalmente, fora vencido pelo cansaço.

    Assim como aconteceu com Tiana, havia quartos quentes e camas macias à disposição de cada um dos aventureiros.

    Para o companheiro de Barahir, inclusive, foram providenciados travesseiros fofos no chão, perto da lareira do quarto.

    O grupo não sabia se aquela hospitalidade era uma marca d’O Javali Torto, ou se representava os agradecimentos de Rikaard, mas o fato é que, ali, o tratamento tinha sido dos melhores – um contraste gritante com a tempestade furiosa e a guerra que existia portas afora.

    Na manhã seguinte, o sol tardou a raiar, ainda encoberto por nuvens espessas e neve crescente.

    Um a um, os aventureiros se aprumaram e voltaram a se reunir no salão principal d’O Javali Torto. Não precisaram pedir nada. Havia uma mesa cheia de pães frescos, queijos e presuntos, carne salgada e café fervendo, um desjejum incomum e farto.

    Tão logo os aventureiros puderam se alimentar, três guardas, todos vestindo mantos brancos e salpicados de neve, ingressaram no estabelecimento.
    Spoiler:
    Um deles vinha à frente, fez uma reverência e se dirigiu a Sir John:

    - Sir John de Ouro-rubro, o Regente Zael o convoca para uma audiência pública. Queira nos acompanhar, por favor.

    Tão logo Sir John fez menção de se levantar, todos os presentes – frequentadores e funcionários, inclusive - buscaram roupas quentes e se levantaram, buscando a porta de saída. Havia um semblante de preocupação em cada rosto, e o que quer que estivesse para acontecer, seria sério.

    Do lado de fora, Misthaven ainda era castigada por uma tempestade de neve implacável. A milícia da cidade, aparentemente, vinha lutando para manter trilhas utilizáveis no meio da neve, trocando suas armas por pás e outras ferramentas.

    E, assim, um grande número de locais parou seus afazeres e se deslocou até a maior construção do local. Não chegava a ser um palácio, mas era um casarão que, claramente, era uma forma de demonstração de poder dos homens.

    Os pisos e paredes de pedra branca eram frios, mas não tanto quanto o espaço aberto, do lado de fora. Tapeçarias com o brasão de Misthaven – um lobo branco sobre duas espadas cruzadas, uma flamejante e outra congelada – adornavam as paredes, e se misturavam a armaduras completas e armas de haste.

    Quando se aproximou do salão principal, apenas Sir John foi permitido avançar pelo tapete. Os demais foram orientados a tomar seus lugares junto ao restante do público.

    No ponto mais alto e destacado do salão, Havia cinco cadeiras, três delas colocadas imediatamente à frente de Sir John, e duas à sua esquerda.

    No assento mais destacado e central, estava o Regente Zael:
    Spoiler:
    À direita do governante – e à esquerda, pela perspectiva de Sir John – estava um homem alto e branco, com cabelos escuros e olhos que pareciam ter visto o mundo. Ao contrário de Zael, ele vestia roupas simples, mas elegantes, e tinha um cajado consigo. A descrição batia com aquilo que o paladino tinha ouvido falar sobre Zoros.

    À esquerda do governante – e à direita, pela perspectiva de Sir John, havia outro homem alto, mas muito mais corpulento e musculoso. Ele envergava uma armadura de batalha completa, de metal negro, e trazia consigo um mangual atroz, o maior que o aventureiro já tinha visto na vida. Aquele deveria ser Zahra.
    Spoiler:
    Nos dois outros assentos, à direita de Zael – e, portanto, à esquerda de Sir John – estavam dois elfos. Mais próximo dos humanos, estava um elfo com ar nobre e altivo, vestindo uma armadura e coroa verdes. Ele parecia ser a personificação da palavra nobreza: era Eldren, o Senhor das Folhas, líder dos elfos da Floresta das Lâminas.
    Spoiler:
    Ao lado dele, uma elfa de beleza ímpar. Ao encará-la, Sir John – e todos os presentes, na verdade, exceto talvez por Drakon e Bavalkhia – ficaram boquiabertos. Ela não era apenas lindíssima, mas tinha uma presença única, como se tivesse saído de um sonho, ou como se fosse, ela mesma, um ser onírico. Tratava-se de Alina, a Dama das Folhas, filha de Eldren e princesa da Floresta das Lâminas.
    Spoiler:
    Todos os demais, expectadores daquela audiência, inclusive Drakon, Barahir e Bavalkhia – estavam atrás de Sir John, e de frente para os nobres, separados por um cordão de isolamento feito por guardas da milícia local.

    Além dos soldados vestidos de branco, que eram maioria, havia um grupo, próximo a Zahra, que também tinha armaduras negras.
    Spoiler:
    Quando pareceu a ao Regente Zael que todos estavam devidamente acomodados, ele tomou a frente e conduziu a audiência:

    - Saudações a todos os presentes! A Casa Regente se reúne diante da Majestosa Misthaven e, como é costume, se reúne aos olhos da Majestosa Misthaven. À minha direita e à minha esquerda estão meus filhos, um dos quais será meu legado ao trono.

    Ele faz uma pausa e, com um gesto largo, indica Zoros e Zahra. Depois dá um passo à frente, e prossegue, solene:

    - Hoje também estão conosco nossos vizinhos e amigos, os honrados elfos da Floresta das Lâminas. Nossas saudações e respeito ao Senhor Eldren, o Senhor das Folhas, e à Princesa Alina, a Dama das Folhas.

    Zael faz mais um gesto largo, indicando os visitantes, que acenam brevemente à menção de seus nomes.

    Mais um passo adiante, e o Regente continua.

    - Diante de nós está Sir John de Ouro-Rubro, o único paladino conhecido em muitas léguas, e pessoa cuja honra e moral são inquestionáveis.

    Assim como fizeram antes, o velho regente indica a figura do paladino diante de si com um gesto e uma reverência. Diferente do que aconteceu antes, contudo, um murmurinho surgiu na multidão que assistia a audiência, uma miríade de cochichos e insinuações de todo tipo.

    Zael, permaneceu em silêncio e, pacientemente, aguardou que todos se calassem, cerca de dois ou três minutos depois.

    Então, retomou sua fala:

    - Creio que todos sabem o motivo pelo qual estamos reunidos. Nós e nossos amigos da Floresta das Folhas desejamos selar um pacto de paz duradouro, pela união de nossos filhos, nosso futuro. Todavia...

    Zael tosse, e Zoros faz menção de ajuda-lo, sendo dispensado pelo pai com um gesto. Zahra permanece impassível, assim como os elfos.

    Depois que o regente se recompõe, prossegue:

    - Todavia, meus dois filhos disputam a mão da Princesa Alina, e não há Lei nesta terra feita para este tipo de situação! Por isso convocamos o nobre Sir John, e confiamos a ele a solução deste conflito.

    Zael, mancando, retorna à cadeira maior, algo próximo de um trono, e ali se acomoda.

    Um criado sai de um local próximo ao qual estavam os soldados vestidos de negro com um jarro na mão. Ao seu lado, flutuando, havia cinco taças, que ele foi servindo de um líquido roxo – aparentemente, vinho – a cada um dos nobres.

    Olhares atentos se dirigem a Sir John, e todos os presentes parecem prender a respiração. Será que era esperado que o paladino decidisse assim, de pronto, quem seria o herdeiro ideal do trono de Misthaven, e esposo adequado da Dama das Folhas? Ou será que era dele esperado que fizesse perguntas e conduzisse um processo de seleção público? A decisão seria imediata, ou o paladino poderia ponderar a respeito? E, se sim, por quanto tempo?

    Naquele momento, Sir John ainda não tinha nenhuma das respostas. Os demais aventureiros, no meio do público, começam a ouvir murmúrios de todos os tipos, desde aqueles que questionam a lisura do paladino até outros em prol de Zahra ou Zoros, e também criticando cada um dos gêmeos.

    Eles apenas assistiriam, ou tomariam parte daquela audiência de alguma forma?

    Off: Todos, exceto Sir John, rolem percepção, CD 20. Resultados no próximo post.
    Drakon_Drakonis
    Neófito
    Drakon_Drakonis
    Neófito

    Mensagens : 29
    Reputação : 9

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Drakon_Drakonis Seg Jan 08, 2024 1:35 pm

    Drakon_Drakonis efetuou 1 lançamento(s) de dados Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 1139504.7c7e302e16a24865f62067a0b289ee5e (d20.) :
    18
    Off:Percepção +3 ; liberando número e depois volto pra encenação
    Sandinus
    Mefistófeles, Lorde do Oitavo
    Sandinus
    Mefistófeles, Lorde do Oitavo

    Mensagens : 12467
    Reputação : 120
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/111.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1611.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2211.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/2111.png

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Sandinus Seg Jan 08, 2024 2:10 pm

    Sabedoria +3
    Sandinus efetuou 1 lançamento(s) de dados Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 1139504.7c7e302e16a24865f62067a0b289ee5e (d20.) :
    3
    Nightingale
    Mutante
    Nightingale
    Mutante

    Mensagens : 735
    Reputação : 20
    Conquistas :
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/712.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/410.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1511.png
    • https://i.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1911.png

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Nightingale Seg Jan 08, 2024 2:32 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 40548411

    Ventress continuava imóvel como uma boneca, sua falta de respiração a denunciaria como alguma espécie de construto se estivesse lidando com alguém que se importasse com isso. Os hábitos daquela criatura eram terríveis e claramente ela era hostil e maligna a despeito de sua aparência. Era um potencial inimigo, mas Ventress não daria o primeiro golpe naquele combate, a menos que precisasse que a criatura saísse de seu caminho. Mesmo diante da faceta da agonia que eram a risada e os arranhões, Ventress ficou imóvel, sem falar ou sem reagir. Não respondia a provocação. Era uma general de Vlad, conhecia as táticas de um monstro para chocar seus adversários, aquela criatura estava tentando ensinar um sacerdote a orar. A única coisa que arrancou alguma reação mínima da Dhamphir Drow foi quando ele sugeriu que Cipriano estivesse morto, novamente pode ser uma tática para confundi-la, ou testá-la. Só acreditaria que Cipriano estivesse com An´Té quando tivesse evidências e de que não se tratava de uma ilusão, mas mesmo assim a idéia de seu amigo ter partido lhe trazia terríveis anseas.

    As vidraças explodiram pegando Ventress de surpresa e ela protegeu seu rosto reativamente usando de sua capa roxa e quando abaixou rapidamente já acreditanto que aquilo fora uma tática do monstro para lhe dar um golpe surpresa, ela viu o monstro desaparecer de uma forma que um goblin normal não o faria. Ficou em silêncio vendo o monstro partir como fumaça e então quando ele se foi, ela voltou a ficar uma postura ereta. Estava sozinha ali, pelo menos é o que parecia. O lugar destruído podia conter alguma pista, mas Ventress já perdeu muito tempo do outro lado do portal, precisava seguir o rastro de sangue que era a maior pista que tinha do paradeiro de Cipriano e só torcia para não estar deixando nada relevante para traz. Ventress tinha que fazer escolhas, só podia orar para An`té que a escolha que estava fazendo era a correta.

    Com sua velocidade aumentada pela magia do vento, ela seguia o rastro de sangue com cuidado para não cair em armadilhas pelo caminho, sem perder mais tempo do que o necessário.
    Mandhros
    Tecnocrata
    Mandhros
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 62

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Mandhros Seg Jan 08, 2024 3:04 pm

    @Nightingale

    Ventress precisava fazer uma escolha e, entre investigar o local no qual se esborrachara há pouco e seguir em busca de seu amigo, a segunda opção se tornou imediatamente sua prioridade.

    A drow endireitou o corpo e, com uma velocidade impossível sem o uso de magia, seguiu o rastro de sangue por um corredor estreito e cheio de quinquilharias velhas e quebradas. Por mais ágil e atlética que fosse, o assoalho podre rangia sob seus pés a cada passo, cada tábua ameaçando estourar sob o peso da esguia patrulheira.

    Mas nem isso, nem a escuridão, nem o maldito goblin... Nada a deteria!

    A dhampir chega ao final da trilha de sangue sobre o assoalho podre em um portal vazio. A porta estava caída do lado de fora, aos pedaços, tão ruim quanto o resto da estrutura da casa. O gotejamento se espaçava e sumia ali.

    Mas não era isso que mais chamava a atenção da ladina.

    A casa da qual saíra parecia claramente uma obra humana, arruinada, vista de fora. Mas o local no qual estava...

    Ela estava encrustada em uma enorme galeria subterrânea, uma tão grande que não deveria em nada a qualquer obra dos drow ou duergars. O próprio chão sobre o qual a casa estava plantada havia sido cortado e trabalhado, criando um pátio de mais de 50 metros de extensão à frente da decrépita moradia.

    À distância, paredes rochosas, adornadas por estalactites e estalagmites desapareciam no limite da infravisão da aventureira.

    Não podia ser! Para onde teriam levado Cipriano??

    Ventress olha para o chão, e vê marcas de pés estranhos no meio da poeira. Não era só isso... A poeira estava espalhada em um padrão, como se uma lufada de vento tivesse sido direcionada ao ponto onde o gotejamento se encerrou.

    A heroína ficou imaginando o que poderia ter acontecido, mas a resposta chegou a ela antes que pudesse se dar conta.

    Um farfalhar de asas encheu o ar, entrecortado por guinchos muito característicos. Morcegos, muito maiores que os normais! Ao menos uma dezena deles, talvez mais!

    Mas espere! Os morcegos carregavam, cada um, alguma coisa...
    Spoiler:
    Eram anões! Um pelotão inteiro, montados em morcegos gigantes, patrulhando aquela área! Como aquilo era possível? Os anões que Ventress conhecia não faziam aquilo!
    gaijin386
    Antediluviano
    gaijin386
    Antediluviano

    Mensagens : 3719
    Reputação : 15

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por gaijin386 Seg Jan 08, 2024 6:28 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 EImRYxTyDLETnBrG2rCG--3--w3sdh

    Sir John de Ouro-Rubro estava de bom humor após uma boa noite de sono ainda mais tendo feito boas ações que cumpriam com a manutenção da ordem... Enfim o sono dos justos.

    Sir John após os eventos da noite passada e um belo jantar, se recolheu para dormir e ao acordar estava de bom humor após uma boa noite de sono, ainda mais tendo feito boas ações que cumpriam com a manutenção da ordem... Enfim, o sono dos justos por merecimento foi dele.

    Um majestoso café da manhã estava diante dele e o mesmo não se fez de rogado e serviu-se com gosto e sorriu para a pequena ferlix "Um bom dia para você, pequenina."  e degustou um belo desjejum, porém não houve tempo nem para agradecer ao taverneiro ou para a digestão e nem para outras conversas com seus recentes conhecidos, pois um som de arrasta pés se fez ouvir.

    A guarda da cidade havia vindo buscá-lo.

    Tão cedo e nem pude apreciar a comida. Pensou Sir John.

    Devidamente escoltado e conduzido, Sir John enfim chegou à residência do regente Zael e toda a pompa cerimonial podia ser notada como uma clara demonstração de poder e intimidação, talvez? Mas o errante não se intimidara e apenas prosseguiu vendo as personagens deste drama elencadas sob suas vistas.

    Viu o regente Zael e os gêmeos  Zahra e Zoros além de uma figura sem nome, mas provavelmente um conselheiro e claro os elfos destes a figura que chamava a atenção não era o seu soberano Eldren, o Senhor das Folhas, mas sim a Princesa Alina, a Dama das Folhas, que em termo de beleza de fato era impressionante.

    Escutou as introduções e apresentações ditas pelo regente, mas não era isso que estava em seu pensamento.  Era demasiado cedo para simplesmente apontar um dos pretendentes, mas obviamente ele podia e devia questionar.

    Sir John de Ouro-Rubro, o paladino errante, fez uma mesura de respeito aos nobres presentes antes de se manifestar.

    “"Vossa graça, é com imenso respeito que compareço à vossa convocação e devo dizer que ainda estudo o caso com grande interesse, embora este tipo de solicitação não seja muito usual a minhas especialidades.""

    O paladino errante coloca a mão no queixo, um gesto que casualmente faz quando está a refletir no que vai dizer e, por fim, ele diz de maneira polida.

    “Seria melhor em prol dos ditames da lei e da ordem que alguns pontos me sejam esclarecidos e para isso precisaria conversar brevemente com o senhor regente, seus filhos, o senhor das folhas e sua filha separadamente."

    Não que vá precisar dela, mas ele pensou na arma presa a suas costas, nela está embainhada, sua grande espada que nada devia em relação ao mangual do jovem Zahras e chamava a atenção o detalhe da lâmina não ser reta, mas sim ondulada ou em formato flamejante.

    Sir John, após falar, aguardou silenciosamente a resposta do regente.

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Forest10

    "There's Something Out There Waiting For Us, And It Ain't No Man."
    [/quote]
    Mandhros
    Tecnocrata
    Mandhros
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 62

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Mandhros Ter Jan 09, 2024 10:28 am

    Off: Vou postar unicamente a resposta a Sir John, para antecipar as ações. Os demais, por favor, sintam-se livres para descrever o que pretendem fazer - depois de fazer o teste de percepção.

    On:

    @gaijin386

    O Regente Zael apoiou o cotovelo sobre o braço do quase-trono no qual estava sentado, e logo em seguida apoiou a têmpora na mão cerrada, uma expressão de meditação ou tédio, Sir John não sabia definir.

    O serviçal continuava passando pelos nobres, servindo uma taça de vinho a cada um, taças estas que ficavam flutuando ao lado dos assentos, comodamente.

    “"Vossa graça, é com imenso respeito que compareço à vossa convocação e devo dizer que ainda estudo o caso com grande interesse, embora este tipo de solicitação não seja muito usual a minhas especialidades.""

    (...)

    “Seria melhor em prol dos ditames da lei e da ordem que alguns pontos me sejam esclarecidos e para isso precisaria conversar brevemente com o senhor regente, seus filhos, o senhor das folhas e sua filha separadamente."
    A resposta do Regente ao questionamento é desprovida de emoção, como se ele fosse um construto:

    - Nobre Sir John, os rumos da Majestosa Mistheaven, pelo costume, devem ser decididos aos olhos da Majestosa Mistheaven. O senhor pode perguntar o que achar conveniente a qualquer dos presentes, e eles responderão, como é praxe, conforme as próprias conveniências.

    Ao som das palavras de Zael, Zoros, o Viajante, se endireitou na cadeira, talvez exibindo uma ponta de nervosismo. Zahra, o Negro, a seu turno, permanecia imóvel em seu assento, mas seus olhos se estreitaram. Os soldados da milícia, ao lado do gêmeo mais corpulento, permaneciam imóveis, seus semblantes ocultos por elmos fechados.

    Os nobres da Floresta das Lâminas, por fim, apenas observavam o paladino, impassíveis, como se estivessem acima ou além daquela audiência.
    gaijin386
    Antediluviano
    gaijin386
    Antediluviano

    Mensagens : 3719
    Reputação : 15

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por gaijin386 Ter Jan 09, 2024 12:09 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 EImRYxTyDLETnBrG2rCG--3--w3sdh

    Sir John de Ouro-Rubro ohn de Ouro-Rubro observa o regente responder e mesmo antes, ele já esperava a resposta que foi dada e lamentou, mas não havia remédio. Então, seria como médico de campo onde não havia tempo para floreios, deveria ser direto e objetivo..

    "Então terei que ser franco em observar que algumas questões poderão ser consideradas por alguns como espinhosas ou incomodas."  

    Sir John espera por alguns momentos antes de prosseguir.

    "Senhor Zael, quem é o sucessor direto ao título? Por questão de primogenitura, o mais velho, ou filho varão, porém neste caso temos gêmeos, então o senhor deve ter escolhido um como sucessor."

    "A resposta a pergunta é importante, afinal o herdeiro irá por casamento gerar o sucessor da linha ao título e assim sendo a importância desta união se coloca em evidência."

    Segurou o pesado códice de leis nas mãos enquanto aguardava a resposta...

    Não tenho tempo para sutilezas e assim sendo devo ser direto e ainda tenho mais perguntas a fazer. Pensou Sir John.

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Forest10

    "There's Something Out There Waiting For Us, And It Ain't No Man."
    [/quote]
    Mandhros
    Tecnocrata
    Mandhros
    Tecnocrata

    Mensagens : 471
    Reputação : 62

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Mandhros Ter Jan 09, 2024 12:45 pm

    Off: Continuo dando sequência à audiência de Sir John, para adiantar a cena.

    On:

    @gaijin386

    Sir John já havia participado de algumas audiências na vida, antes de se aventurar, mas nada como aquilo. Os costumes de Mistheaven pareciam estranhos à praxe que o paladino conhecia.

    "Então terei que ser franco em observar que algumas questões poderão ser consideradas por alguns como espinhosas ou incomodas."  

    (...)

    "Senhor Zael, quem é o sucessor direto ao título? Por questão de primogenitura, o mais velho, ou filho varão, porém neste caso temos gêmeos, então o senhor deve ter escolhido um como sucessor."

    "A resposta a pergunta é importante, afinal o herdeiro irá por casamento gerar o sucessor da linha ao título e assim sendo a importância desta união se coloca em evidência."
    Zael não pestaneja ao responder, e também não parece sequer minimamente desconfortável com o que diz. Em tudo, ele transparecia ser um regente extremamente direto e prático:

    - Ambos, Zoros e Zahra, são meus filhos, e ambos príncipes de Mistheaven. Pela minha vontade, os dois dividiriam as responsabilidades da administração, mas tanto seus temperamentos opostos quanto os conselhos de meu recém-falecido jurisconsulto me apontaram que esta não seria uma solução adequada ou viável.

    Ele faz uma pequena pausa antes de prosseguir.

    - São tempos de guerra, mas nossas intenções são de paz com nossos nobres vizinhos da Floresta das Lâminas. Por isso sugeri ao elevado Senhor Eldren o casamento de Zoros e Alina. Todavia, Zahra também deseja a mão da nobre Dama das Folhas.

    Enquanto Zael falava, Zoros olhava para o lado direito, seu olhar buscando o de Alina seguidamente. A elfa, de forma muito mais discreta, retribuía o olhar, mas não apresentava qualquer outra alteração perceptível de suas feições perfeitas. Eldren apenas desviava o olhar de Zael para Sir John, acompanhando educadamente quem tinha a palavra. Já Zahra olhava Sir John fixamente, como se o estivesse dissecando com os olhos, embora não se movesse ou demonstrasse qualquer expressão.

    O serviçal terminava de servir o vinho. Por último, deixou uma taça para Sir John, que flutuava ao alcance de sua mão direita. Logo após, saiu pelo mesmo local por onde entrou, próximo da mílicia, que também permanecia imóvel.
    gaijin386
    Antediluviano
    gaijin386
    Antediluviano

    Mensagens : 3719
    Reputação : 15

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por gaijin386 Ter Jan 09, 2024 2:44 pm

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 EImRYxTyDLETnBrG2rCG--3--w3sdh

    Sir John de Ouro-Rubro percebe que o ancião parecia ter dado um jeito de tirar o dele da reta com essa decisão incomum de dividir as responsabilidades entre os dois filhos. Desse modo, só me resta continuar inquirindo.

    "Compreendo... Então, a escolha do matrimônio foi combinada entre o Senhor Zael e o Senhor das Folhas verificando quem seria o par ideal e mais adequado aos propósitos de ambos."  

    Virou-se para Zahras e questionou.

    "Então... Por que acha que o senhor regente deve mudar a decisão? O que causa sua queixa a respeito de Zoros ser o escolhido?"    

    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Forest10

    "There's Something Out There Waiting For Us, And It Ain't No Man."
    Conteúdo patrocinado


    Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma - Página 3 Empty Re: Grupo ALFA - Capítulo 1 - Uma história de fantasma

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sáb Mar 02, 2024 1:50 pm