Um fórum de RPG online no formato de PBF (Play by Forum).


    Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Compartilhe
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Gakky em Sex Abr 07, 2017 4:22 pm

    O príncipe suspira novamente frente a sugestão de Chui, se endireita com o comandante nas costa e fala:

    - Não parece uma má ideia... Mas como eu falei... O comandante disse para não nos separarmos, vocês viram o que aconteceu da outra vez, e ainda levamos penitência. Se fizermos isso, estaremos desobedecendo as ordens. Eu aprendi desde que cheguei aqui que devemos agir como soldados. Até mesmo você Ray, vive me dizendo isso.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Pallando em Sex Abr 07, 2017 7:22 pm

    O evo sentiu-se desmotivado a insistir em ficar para trás depois de encontrar forte resistência do grupo contra a proposta. Porém, ainda contava com alguma melhora para desistir dessa ideia, afinal não permitiria que alguém o carregasse naquela situação. Sendo assim, Marin continuou próximo a parede e ouviu os outros. Primeiro Ray levantou a possibilidade de separarem-se para realizar as tarefas, ideia que não foi bem recebida pelo príncipe, e depois Chui complementou.

    Marin já se sentia melhor em comparação a anteriormente, mesmo que ainda não fosse capaz de fazer grandes esforços. Sentiu certa tontura durante algum tempo, mas fez o possível para não deixar seu mal-estar transparecer. Pensava na sugestão do caçador e, contanto que conseguisse realmente carregar e ser efetivo com o rifle, considerava a divisão do grupo a melhor solução. Mesmo que Gail tivesse razão em lembrar as ordens do comandante, salvar a vida do próprio Rosso havia se tornado uma prioridade acima disso. Talvez o príncipe estivesse certo, mas Marin sentia que já não havia mais tempo para discutirem as ideias.

    Algo precisava ser feito logo e a ideia de Chui era o mais próximo que estavam de chegar a um acordo.

    - Rosso não parece ter muito tempo. Se não fizermos algo ele morre e se a verificação não for feita, continuaremos sem saber com o que estamos lidando.- Opinou logo depois de ouvir Gail.- Nos separarmos já se tornou uma necessidade. Mas priorizando a vida de Rosso, seria melhor seguirmos juntos até a ala hospitalar por segurança e de lá poderíamos nos dividir. Só precisamos ser rápidos com isso.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 349
    Reputação : 20
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Tsumai em Sab Abr 08, 2017 9:26 pm

    Chui fica contente de Marin concordar com ele, mesmos sabendo que haveria resistência de Gail. Na mente do caçador, não havia empecilho nenhum em s dividir, e ouvir outro sermão de Rosso seria apenas um problema irrelevante. Tomando a iniciativa para agilizar a situação, Chui segui até o lounge enquanto falava:

    - Não temos, tempo! Marin, me siga. - Chui passa o rifle para o evo e pega Rosso com certa dificuldade. - Vamos para o lounge, vou ligar para minha irmã!

    Chui apressa o passo com Marin na cobertura. Sabia que mesmo estando naquela situação, o evo teria habilidade suficiente para atirar. Quando chegaram ao lounge, Chui deitou o comandante no sofá e correu rapidamente até o comunicador para ligar para sua irmã. Assim que ela atender (se ela atender), ele vai dizer:

    - Não tenho tempo! Ash, como cuido de ferimento com vamperium? O comandante foi envenenado!
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1373
    Reputação : 270
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Luxi em Sab Abr 08, 2017 11:07 pm

    - Eu sei que podemos nos dar mal por isso, mas não temos tempo, Gail!! As regras não importam agora. Temos que aumentar nossas chances. Vamos!

    A garota correu com Gail para a cabine de comando. Não achava que tinham mais invasores ali, mas tudo que podia fazer era torcer. Se por acaso estivessem perto de Locus, a própria irmã de Chui podia cuidar do caso.

    - O que vamos fazer? Eu não sei nada de primeiros socorros além do que a Lana me contou em Duos... Eu nem sei se deveríamos ter nos separado mesmo.... Mas eu sinto que qualquer coisa que fizermos é melhor do que ficar ali em cima dele... - ela falava mesmo muito aflita, não sabia lidar muito com a pressão, ainda mais com a vida de um companheiro em jogo.
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Gakky em Dom Abr 09, 2017 3:40 pm

    O grupo debatia sobre o que fariam nesta situação de emergência. A ideia era que eles se separassem, mas Gail não concordava, queria seguir as regras do comandante e não separar. Porém Chui, Marin e Ray insistiam, então o príncipe teve que aceitar, pois também não queria que Rosso morresse.

    - Se vocês acham que isso irá salvá-lo... Tudo bem... Não quero que Rosso... Vamos logo!

    Gail ajudou o caçador a por o comandante no sofá, e partiu com Rhaenee para a cabine de comando. (Ray ir para cena Cabine de comando). Chui logo se apressou, deu sua arma para o evo, que chegava devagar e usou o comunicador para ligar para sua irmã. Quase deixou o aparelho cair no chão por causa de seu nervosismo. Os segundos da discagem, pareciam horas por causa da tensão. Desesperado, assim que viu Ashanti na tela, perguntou logo o que deveriam fazer para curar Rosso. A irmã já ia cumprimentá-los, mas viu que a situação era grave, então respirou fundo e respondeu efetivamente:

    - Chui... Calma, mantenham a calma. O antídoto desse veneno é o sulfeto de selênio. Eu não sei se vocês possuem isso na nave, mas se não encontrarem, essa substância também pode ser achada em xampus anticaspa. É só dar pra ele beber a quantidade de 50ml, já que é alto, agora se for usar o xampu, tem que purificar no purificador, que deve estar na ala médica, ele parece uma centrífuga. Depois devem deixar o comandante descansar e beber muito líquido. Boa sorte irmão!

    O caçador encerra a ligação e coloca com dificuldade Rosso nas costas, era muito pesado, ainda mais para o caçador que era baixo. Em seguida se dirigiu para a ala média a passos mais lentos por causa da carga, Marin foi logo a atrás. Se o evo estivesse bem, carregaria o comandante sem nenhuma dificuldade, mas apesar de ter melhorado consideravelmente, ainda não estava totalmente recuperado.

    Os dois chegaram a ala médica, Chui deita Rosso na cama com dificuldades e com cuidado para não deixá-lo cair. A sala médica possuía armários com diversos medicamentos, em cima das bancadas haviam aparelhos e objetos estranhos para os dois. O caçador estava suado e sentia calor por ter carregado o corpo de Rosso, que estava ardendo em uma febre de 40 graus.

    - Não deixe que eles vivam! Vá para as trincheiras! - Delirava Rosso, sua pele estava pálida e pegajosa.

    Ala médica Imagem:


    (Para procurar o que Ashanti disse, role procurar CD8 + inteligência).

    --> Cena cabine de comando (Ray)

    Gail e Ray percorriam sozinhos por Seleucia. Saíram do lounge apressados, o príncipe segurava sua espada como se estivesse prestes a atacar alguém e olhava paranoico para todos os lados. Eles chegaram aos pés de duas escadas, uma ia para o deck superior e a outra para o inferior, eram pequenas e em espiral, só permitiam a passagem de uma pessoa.

    - Vá na frente, eu vou logo atrás - Sugeriu o príncipe.

    Porém quando a guarda-costas já ia subir as escadas, Gail mudou subitamente de ideia depois de lançar um olhar para ela, seu rosto corou e ele entrou rapidamente na frente dela e começou a subir as escadas, quando fazia isso, explicou:

    - Er... Pode ter inimigos lá em cima, melhor eu ir na frente...

    A nave estava silenciosa, era um problema não saber o que estava acontecendo. Enquanto subiam os degraus, Rhaenee comentou algumas coisas com o príncipe, que parou de subir ao chegar no topo e respondeu olhando para cima:

    - Agora que já decidimos nos separar... Melhor fazer o melhor para dar certo... Estou contando com você Ray, para mexer na cabine de comando e descobrir o que aconteceu.

    Com a espada apontada para cima, o príncipe termina de subir e avisa para sua amiga que a área estava limpa, ele parecia mais concentrado e mais sério. Rhaenee nunca o tinha visto ficar assim, ela termina os últimos degraus e chega a sala de operações. Era sinistro como as coisas pareciam assustadoras quando se estava em momentos de tensão. Os dois seguem cautelosos até a cabine de comando, o som de seus passos ecoavam pelos compartimentos. Assim que chegam, se sentam nas cadeiras principais, Ray na de piloto e Gail na de co-piloto. A guarda-costas começa a ligar o painel e procura ver o que estava acontecendo com Seleucia. Logo o monitor mostra várias informações e um esquema da nave todo em azul, como um mapa. Um grande ponto luminoso e vermelho piscava na sala de máquinas e no tanque de combustível, as seguintes informações apareceram escritas juntamente com uma voz feminina que as lia em voz alta:

    "Alerta 1 - Os geradores de energia foram avariados! Causa técnica desconhecida. Explosão de pequena proporção causada as 4:09 AM. Reguladores não estão respondendo. Solução: Energia emergencial manual, recuperação feita com sucesso, energia com duração de 00:42:15:05" ( esses números eram como um cronometro, marcava 42 minutos e diminuía)

    "Alerta 2 - O tanque de combustível foi avariado! Causa: Explosão de média proporção. Perdendo combustível. Tanque em 56% da capacidade. (está porcentagem também diminuía consideravelmente)

    Rhaenee apesar de nervosa, desliza os dedos pelo teclado de vidro e vê que o mapa de Seleucia não detectava a entrada de mais ninguém na nave, porém logo perderiam o combustível. A posição da nave já estava distante de Locus, mas perto do portal de dobra que os levaria a Nihil. Talvez desse tempo de chegar a dobra e aterrissar em Nihil. (Rhaenee pode rolar um teste de inteligência para saber mais informações, CD8). Gail ficou assustado com todas essas informações, ele olha para a amiga e espera que ela possa fazer algo:

    - Não tem inimigos... Mas o que faremos se o combustível e a energia acabar! O que faremos Ray?
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 349
    Reputação : 20
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Tsumai em Dom Abr 09, 2017 7:39 pm

    Chui mal deu atenção ao que Gail disse, pois imaginava que seria uma opinião contrária. Assim, ficou aliviado por Gail correr com Ray na direção da cabine de comando. Chui tomou então Rosso (delirante) nos ombros e, com bastante dificuldade, seguiu com ele até a ala médica,onde o pousou em uma cama. Assim, enquanto Marin ficava de vigia, o caçador começou a revirar os armários e gavetas do aposento, jogando gazes, curativos e frascos plásticos vazios no chão, fazendo uma verdadeira bagunça enquanto procurava o tal antídoto.

    - Droga, não tá aqui!

    Lembrando-se que também poderia usar xampu, Chui desembestou para fora da enfermaria, agora derrapando em direção aos banheiros, torcendo para não ter nenhum inimigo à vista. Se Rosso estivesse consciente provavelmente ralharia com ele por sair completamente sozinho em uma área perigosa e com suspeita de inimigos, mas a situação pedia. Quando entrou velozmente no banheiro (quase dando de cara na pia), abriu o armário onde se guardava os itens de banho e pegou o tal xampu anticaspa. Então, mais uma vez correndo feito louco, voltou à enfermaria para usar o tal purificador, que, por sorte, era algo que indicava o que era, assim Chui não perderia mais tempo descobrindo onde estaria. Derramou o xampu inteiro dentro da máquina, depois pegou um copinha que ficava na base e se virou para Rosso, torcendo para que funcionasse. Olhou para a medida do copinho antes de derramar o líquido na boca do comandante. Então, ficou esperando alguma reação, suado, sem camisa e descalço.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1373
    Reputação : 270
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Luxi em Seg Abr 10, 2017 7:28 pm

    - Hm? - a garota corou de leve ao ver a expressão estranha no rosto do príncipe e só imaginou por que ele tinha pedido para ir primeiro quando começou a subir também. Ultimamente estavam passando por muitos momentos constrangedores, concluía, envergonhada. Mesmo assim, estavam fazendo algo mais importante agora.
    O fato de o príncipe estar contando com ela a deixava orgulhosa,mas ao mesmo tempo se sentia pressionada e tensa. Ela assentiu e começou a tocar o teclado de vidro. ]
    - QUÊ??? Essa não... estamos com muitos problemas - ainda bem que os outros não estavam ali, ou ela ficaria ainda mais nervosa. - Ai meu deus, ainda bem que a gente veio!!! Quanto tempo mais a gente teria?

    - Espera.... hm... - ela fez alguns cálculos e percebeu que a única chance deles era essa. - Gail, preciso de você. Q-quer dizer...pra ser meu copiloto. Nós temos pouco tempo. Não sei quanto, mas precisamos chegar em Nihil. Não conseguiremos ir a Locus desse jeito. É muito arriscado, mas se ficarmos à deriva, podemos morrer sem oxigênio. Vou tentar enviar umsinal para alguma base e indicar que estamos indo. Se... algo der errado, pelo menos vão saber onde procurar... - ela lamentou e buscou algum mecanismo para enviar sinais para a base em Primus.
    - Certo! Agora vamos ao que interessa. Gail. Preciso que ouça atentamente o que eu disser. Eu estou com um braço só e isso pode ser difícil. Vamos para a fenda. É tudo o que temos. Sente-se e prepare-se. Vamos fazer uma loucura. Vejamos, as coordenadas são...
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Pallando em Ter Abr 11, 2017 12:20 pm

    Marin pegou a arma com Chui, torcendo para não ter problemas para carrega-la, e seguiu com os outros até o lounge. Chegando lá, Gail ajudou Chui a colocar o comandante no sofá e então ele e Ray se dirigiram para a cabine de comando. Chui não perdeu tempo e se apressou em ligar para sua irmã, enquanto Marin vigiava o lugar com uma expressão um pouco mais tensa no rosto. Mal pôde descrever o alivio que sentiu quando Ashanti atendeu e, percebendo a gravidade da situação, rapidamente começou a falar o que precisavam fazer.

    Depois de encerrar a ligação, os dois foram para a ala médica a passos lentos, pois Chui carregava o comandante e Marin ainda estava fraco. O caçador deitou o comandante na cama assim que chegaram e começou a revirar o lugar em busca do dito antídoto. Chui estava tenso e não encontrou o que precisava na sala, então partiu para fora em alta velocidade, o que preocupou o evo por não poder segui-lo, e quando retornou trazia xampu consigo. Derramou tudo na máquina citada por sua irmã e depois colocou em um pequeno copo.

    Cuidadosamente Chui deu o antidoto ao comandante e ficou ao seu lado esperando por uma reação. Marin ainda estava preocupado com a entrada e com possíveis inimigos, mas também esperava ansioso por alguma melhora de Rosso.
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Gakky em Qua Abr 12, 2017 5:42 pm

    --> Cena Ala médica (Marin e Chui)

    Chui correu para conseguir o antídoto, enquanto Marin ficou vigiando o comandante. Rosso delirava e falava coisas sem sentido que tinham haver com guerra e batalhas. Porém uma de suas frases foi diferente, e somente Marin ouviu, quando o caçador correu para pegar o xampu:

    - A princesa... Deve salvar a princesa...

    O caçador voltou com o xampu e depois de ter o purificado, levantou a cabeça do comandante e tentou fazê-lo beber o líquido. Não teve grandes dificuldades com isso. Marin sente que sua força estava voltando e seu corpo parecia muito melhor. De repente um aviso é ouvido por toda Seleucia:

    "Apertem os cintos, Seleucia estará entrando no hiperespaço em três minutos. Para sua segurança, acomode-se nas poltronas de segurança e não se levante durante a viagem no hiperespaço."

    Com certeza Rhaenee estava fazendo alguma coisa muito louca. Toda a nave começou a tremer e sacudir depois dos três minutos. Por sorte a cama médica onde Rosso estava tinha cintos automáticos, que podiam ser acionador por um botão. Depois de toda essa turbulência, as coisas pioram, Seleucia parece estar caindo, o corpo de Marin e Chui vão querer cair para a direita, como se a nave estivesse virada na lateral. Os dois podem tentar se segurar em algum lugar. De repente Selecia sofre um grande impacto, como se tivesse batido em alguma coisa e enfim finalmente parou  (Ver o off). O comandante estava ainda deitado sobre a cama e quando a nave parou, murmurou com a voz baixa:

    - Princesa... Salvaram a princesa?

    --> Cena Ala médica (Ray)

    O príncipe olhou assustado para Ray enquanto ouvia tudo que ela dizia, era loucura pilotar com um braço só uma nave do porte como de Seleucia! Mas eles não tinham muitas opções. Gail suspirou e engoliu o desespero, olhou para frente, fechou os olhos por breves segundos como se tivesse se concentrando, depois se virou para sua guarda-costas e disse:

    - Ray, confio em você.  

    Gail sentou no banco de co-piloto, colocou o cinto de segurança e se preparou para uma das situações mais difíceis de sua vida, embora tentasse se manter sério, sua testa já suava. Rhaenee apertou o botão que mandava ajuda para a base, depois preparou tudo para partida, acionou vários botões, mandou o computador calcular a velocidade da luz e dar as coordenadas.

    - Eu não sei bem como fazer... Mas sei pilotar gudans, não deve ser muito diferente... - Comentou o príncipe colocando a mão nos controles.

    Os propulsores estavam acionados e as coordenadas bem calculadas, isso evitaria que batessem em algum asteroide ou super nova quando passassem pela fenda e entrassem no hiperespaço. Depois da guarda-costas fazer os preparativos, o computador avisou com uma voz feminina robótica:

    " Entrando na velocidade da luz, três minutos e seis segundos para passar pela fenda espacial."

    "Apertem os cintos, Seleucia estará entrando no hiperespaço em três minutos. Para sua segurança, acomode-se nas poltronas de segurança e não se levante durante a viagem no hiperespaço."

    Rhaenee segurou firme o volante, mesmo com apenas um braço. Os movimentos bruscos que fizeram seu braço imobilizado doer algumas vezes. Mesmo assim ela acelerou Seleucia com coragem e atravessou com a nave no centro de um arco metálico que flutuava no espaço, era a fenda espacial. Toda a nave tremeu e sacudiu muito no processo. Mas não demorou para estarem dentro do hiperespaço. Logo a paisagem na sua frente mudar para a bela visão do planeta Nihil.

    - Chegamos Ray! - Exclamou Gail - Preparando para aterrissar!

    Porém o combustível já estava no 10%, teriam que ser rápidos. Rhaenee controla Seleucia e corajosamente se dirige para Nihil atravessando a atmosfera. Alertas aparecem na tela do computador:

    " Defletores laterais com defeito! Superfície superaquecendo!"

    Ray socou com rapidez o botão que acionava os extintores de emergência. A nave ficou com turbulência quando passou pela atmosfera de Nihil. A superfície no planeta era muito irregular e demorou alguns segundos para os computadores calcularem coordenadas seguras. Para piorar, todo combustível da nave havia chegado ao fim, se estivessem com combustível, bastava flutuar, mas sem isso, teria que usar a velocidade da queda. Ray precisou guiar Seleucia para que caísse de forma segura, passou por cima de montanhas, por cima de penhascos e finalmente encontrou uma tipo de planície, onde tentou manter a direção até que a nave foi perdendo velocidade e acabou batendo em algumas pedras! A tela desliga por alguns segundos, mas depois volta a aparecer com as informações da situação atual de Seleucia. (Ver off) Rhaenee também se lembra que há um comando que envia recados de áudio que podem ser ouvidos por toda nave.

    - Ray, tudo bem com você? Conseguimos? - Perguntou Gail com o rosto tenso.




    OFF:

    - Rhaenee faça teste de pilotagem CD8 inteligência, se errar, os prejuízos na nave serão maiores... Se acertar, só sofreu um amassado.
    -Marin e Chui rolem agilidade, CD8, se não vão se machucar, bater contra parede, contra armários e ter ferimentos, nada grave, leves ferimentos na pele, contusões, sangramentos superficiais... Se passar é porque conseguiram se segurar em algum lugar.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 349
    Reputação : 20
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Tsumai em Qua Abr 12, 2017 9:44 pm

    Chui ainda esperava por alguma reação de Rosso quando ouviu o alarme soar pelos cantos de Seleucia.

    - Hiperespaço? - indagou ele espantado a Marin. - O que Ray está fazendo?

    Talvez estivessem longe demais de Nihil, ou não, mas estranhou o fato de ativarem a velocidade da luz neste momento. Só poderia confiar que Rhaenee soubesse o que estava fazendo e que tudo desse certo. Supondo que também fosse ela no comando e nenhum inimigo descoberto no caminho... Chui franziu o cenho e balançou a cabeça para afastar estes pensamentos pessimistas. Mas nem sabiam como fariam para interagir com Nihil sem o comandante - afinal, ele dizia ser um lugar hostil que chovia ácido, ou algo do tipo. Não sabiam com quem se comunicar lá, nem para onde seguir... e Chui não tinha a menor ideia se o efeito do antídoto funcionaria a tempo, se é que iria funcionar, porque Rosso não demonstrara nenhuma reação até agora. Bem quando ergueu a mão para verificar a temperatura de Rosso, a nave deu um solavanco brusco, indicando a entrada no Hiperespaço. As travas da cama seguraram o comandante na cama, mas Chui se segurou no pé da cama para evitar dar de cara com a parede oposta, sacolejando como se estivesse montando uma das criaturas de Locus. Nesse instante, Rosso balbuciou algumas palavras delirantes sobre salvar a princesa... seria só um delírio mesmo? Por que? Bom, se preocuparia com isso depois. Sacudiu a cabeça para por tudo no lugar e se ergueu do chão. Deu uma nova olhada para Rosso para ver se ele tinha reagido ou acordado. Caso já esteja melhor e desperto, Chui vai falar com ele pra saber como se sente; se ainda não tivr acordado, vai se virar para Marin e dizer:

    - Fique com ele, vou atrás da Ray e ver se tá tudo bem por lá. Se precisar de ajuda, bem, grite..

    Chui vai sair da sala e ir até o centro de comando, ainda deixando a arma com o evo.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1373
    Reputação : 270
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Luxi em Qui Abr 13, 2017 9:05 am

    - Obrigada. - murmurou diante do apoio do príncipe. Ela mesma não estava muito confiante, então receber aquele tipo de incentivo era muito importante. Seu coração batia ansioso. Estava em jogo muita coisa importante, muitas pessoas importantes. Respirou fundo e encarou o painel. Estava na hora.  Afivelou o cinto e fez um breve alongamento para soltar a mão. Precisaria ser esperta.

    - É parecido. Ainda bem que o comandante me pediu para ser sua co-pilota. Eu acho que consigo fazer o básico. Vejamos...

    - Certo... é agora. Aconteça o que acontecer...  Estamos juntos nessa. - disse mais para si mesma do que para o príncipe. Ela não reclamou de dor enquanto pilotava. Cada vez que o braço dava alguma pinçada, seu medo crescia, mas ao mesmo tempo, seu outro braço se firmava. Não tinham outra escolha. A nave tremia bem coerente com os sentimentos dentro dela. Como Rosso lidava com aquilo de forma tão tranquila? O comandante era incrível... Será que os garotos tinham conseguido falar com a irmã de Chui?

    - ISSO! Deu certo! - gritou empolgada ao avistar o planeta Nihil. Sua mão começou a tremer de ansiedade. Tudo tinha dado certo de primeira? Ela checou o combustível, sentindo um medo crescente. - Vamos... só mais um pouquinho. -conversou com Seleucia em voz baixa.  OK. Ativando os comandos para aproximação e aterrissagem!... Eh? O que está acontecendo? AH, essa não!  - ela esmurrou o botão dos extintores de emergência depois de procurar por eles desesperada. Não esperava encontrar um ambiente daqueles no planeta, que desestabilizaria tanto a viagem.  

    - Segure-se - avisou simplesmente, descobrindo que a queda não seria suave. Só precisava agora encontrar um local melhor para pousarem, com a nave em velocidade. Mal lembrou do botão naquela hora, havia tanta coisa para pensar... Na sequência, a nava começou a ralar nas montanhas. Ela piscou forte ao ouvir o primeiro barulho das pedras batendo na estrutura, mas sabia que não podia agir daquele jeito. Não fazia ideia do que estava acontecendo lá fora, mas também não podia se mostrar desesperada para Gail. Será que Rosso já tinha passado por essa insegurança? - Vamos conseguir! -  repetiu para si mesma, grudando no volante.  

    Ao sentir que tinham conseguido pousar, apesar do forte barulho, ela encostou o corpo no banco, suspirando profundamente, ouvindo a voz de Gail, mas esperando um pouco para responder.

    Ela apertou alguns botões para verificar o estado da nave, mas aparentemente não havia nada explodindo por causa dela. Suspirou aliviada mais uma vez e finalmente lembrou da existência de um botão para conversar com os outros, pressionando-o e falando com toda Seleucia:

    - Senhores, sejam bem-vindos a Nihil!

    Rhaenee sorriu finalmente e virou para Gail, com os olhos brilhando.

    - CONSEGUIMOS! CONSEGUIMOS! NÓS REALMENTE CONSEGUIMOS!!! Eu nem acredito... - estava radiante de felicidade, embora  tivesse causado alguns danos à nave. Ela checou o estado da nave e se Seleucia lhe dava alguma informação adicional sobre as redondezas.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Pallando em Qui Abr 13, 2017 9:51 pm

    Rosso estava delirando. Era só o que Marin podia pensar ao ouvi-lo falar sobre a princesa em uma hora como aquela, em que claramente eram eles que precisavam ser salvos, e assim o evo não deu muita importância para o que tinha ouvido. Pouco a pouco sua força voltava e já se sentia mais capaz de usar o rifle do caçador adequadamente, embora preferisse não precisar usa-lo, mas mesmo assim não foi rápido o suficiente para segurar-se em algum lugar depois de ter ouvido o aviso.

    A principio pensou que a turbulência não poderia ser tão forte e ainda estava mais interessado em ver se o comandante mostrava melhoras, então praticamente ignorou a seriedade do aviso. Três minutos depois e tudo começou a sacudir, no mesmo momento que Marin entendeu que precisava segurar-se em algo rapidamente. Pouco tempo depois a situação piorou e, quando o evo se deu conta, já estava chocando-se contra paredes e todo o resto. Depois houve um grande impacto e a nave pareceu parar.

    Ainda caído, Marin ficou feliz ao perceber que não estava gravemente ferido. Agarrou o rifle e apoiou-se nele para levantar sem muita vontade, olhando ao redor e vendo se o caçador e o comandante estavam bem ou não. Ouviu Rosso murmurar mais uma vez a respeito de "salvar a princesa", e com isso pensou que o comandante ainda não havia melhorado e continuava com leves delírios. Chui, por outro lado, já estava de pé e queria seguir para a cabine de comando, onde com certeza descobriria o que havia acontecido.

    - Certo.

    O evo posicionou-se na entrada logo depois que Chui se retirou e manteve-se atento ao comandante, esperando por uma melhora. No instante seguinte sentiu-se aliviado por ouvir Ray dando as boas vindas a Nihil.

    - Está com medo pela princesa?- Perguntou para ver como Rosso estava, pois saberia se ainda estava delirando ou não depois de ouvir sua resposta. Isso se estivesse acordado.- Seria compreensível, mas duvido muito que algo aconteça com ela.

    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Gakky em Sex Abr 14, 2017 12:50 pm

    --> Cena Ala médica (Marin e Chui)

    Chui saiu apressado da ala médica (ir para cena Lounge), depois todos ouviram a mensagem de Rhaenee, estavam em Nihil! Marin não foi atrás do caçador, pois alguém precisava garantir a segurança do comandante. O evo já se sentia bem melhor, embora estivesse com alguns ferimentos e dolorido por não conseguido se segurar durante a turbulência. Ele se aproximou e Rosso e fez umas perguntas para saber se ele estava bem. O comandante estava com a testa suada, mas sua pele parecia mais corada agora e menos pálida. Ele olhou ao redor e para Marin, falou um comando para a cama o liberá-lo e se virou um pouco na direção do evo ao responder:

    - Princesa? - Olhou ao redor, colocou a mão na nuca e continuou - Ala médica... Droga, eu apaguei... Onde estão os outros? Por que está sozinho aqui? É só eu piscar que começam a descumprir minhas ordens...

    Rosso parecia ter voltado ao normal, apenas de ainda estar suado, porém logo ficaria bem. A febre já tinha abaixado consideravelmente. Depois de Marin responder suas dúvidas, ele vai com o evo até os outros. (Ir para cena de todos no Lounge)

    --> Cena cabine comando (Ray)

    Rhaenee estava exultante por ter conseguido aterrissar sem grandes problemas. Depois de comemorar gritando com Gail, ela começou a verificar o estado de Selecia. Gail abriu um largo sorriso ao ver a empolgação da amiga e ao ver que estavam vivos.

    - Por um momento achei que íamos morrer - Confessou o príncipe - Isso foi... Acho que nunca me senti assim antes, tão vivo! Ray, você é mesmo incrível!  

    A tela de comando exibiu um mapa de Seleucia, a ponta na nave piscava em vermelho. Os danos não eram graves, amassados na superfície, a ponta da nave havia também amassado bastante, mas nada terrível. Porém não havia combustível, e precisariam consertar a energia. Só havia uma coisa estranha, a mensagem enviada para o resgate, não havia sido enviada. Era a primeira vez que viam uma mensagem assim em suas vidas, geralmente nunca acontecia dos sistemas caírem, ou de ficarem sem sinal.

    "Não foi possível enviar a mensagem, sem sinal da base"

    Depois Chui chegou querendo saber o que tinha acontecido. Os três conversam e depois vão ver o comandante. (Ir ao lounge)

    --> Cena Lounge (Ray, Marin, Chui)

    O caçador havia sido o primeiro a se encontrar com Rhaenee e Gail, ele ficou sabendo do que tinha acontecido e que não havia inimigos na nave. Depois de Chui, Ray e Gail descerem e encontrarem-se com Marin e Rosso no caminho, todos vão para o lounge para conversar sobre o que tinha acontecido. O comandante se senta e ouve tudo dos seus soldados, em total silêncio. Rhaenee conta que viu que Nihil estava próximo, e que o combustível estava vazando rapidamente, por isso teve a ideia de aterrissar no planeta, para não ficarem a deriva no espaço e sem energia.  A energia de emergência logo acabaria, e isso poderia matá-los antes do resgate chegar.

    Todo combustível havia acabado. Ela também contou que a causa disso foram explosões que ocorreram na nave, tanto nos tanques de combustível quanto nos geradores de energia. Explicou que Gail foi seu co-piloto, eles passaram com Seleucia pela fenda espacial, um arco flutuante no espaço que faz as naves espaciais acelerarem e entrarem no hiperespaço. Todas as viagens são feitas assim na Galaxia do Sabre, é preciso viajar até as fendas, que tornam possível a ida a cada planeta de forma rápida, sem demorar anos. O grupo contou ao Comandante como se organizaram para salvá-lo, Chui ligou para irmã, que disse qual era o antídoto, assim Marin e ele foram até a ala médica onde administraram o líquido em Rosso. Rhaenee também explicou que sua mensagem para a base pedindo resgate não foi enviada por falta de sinal. Só depois de contarem todas essas informações, que o comandante começou a falar:

    - É incrível como me desobedecem tão fácil... - Suspira - Onde vamos parar assim em Nihil... Mas agradeço a preocupação. Foi uma atitude ousada Rhaenee, suas habilidades de pilotagem são mesmo incríveis. O antídoto da irmã do Chui parece ter dado efeito, obrigado Chui. Depois quero agradecer a ela pessoalmente. Mas agora vamos falar de coisas importantes.

    Rosso suspira mais uma vez e começa:

    - Estamos sem combustível e a energia não vai durar. Por sorte o ar de Nihil é respirável. Mas é estranho como essas explosões aconteceram, tenho quase certeza que foi sabotagem.

    - Sabotagem? Mas quem faria isso? - Questionou Gail.

    - Provavelmente foi em Duos - Respondeu Rosso - Talvez o mesmo que queria matar o príncipe. Pelo visto estamos lidando com um inimigo forte e com conexões militares. Eu não sou um técnico, mas tentarei consertar nossa energia. Temos que mandar outro pedido de resgate, mas é estranho. A base nunca ficou sem sinal antes.

    Enquanto conversavam, uma mensagem chegou no comunicador. Rosso estranhou, mas pegou o objeto e o ligou para ver a mensagem. Uma tela holográfica apareceu na frente de vocês com a imagem da princesa, seu semblante parecia preocupado, embora tivesse uma postura séria e firme:

    - Comandante Rosso! Espero realmente que estejam bem! Algo terrível aconteceu em Primus. Metade dos militares se uniram com os ministros e tomaram o poder a força, aproveitaram a situação de emergência de Primus para mostrar as garras. Os monstros gigantes estão atacando conforme a vontade deles! Talvez nem sejam alienígenas. Agora eles estão a procura do Imperador e de sua família, querem nos matar para consolidar seu novo governo. Mas enquanto estivermos vivos, o povo ainda terá esperanças. Eles querem mudar tudo e até a Aliança Estelar, se deixarmos vão transformar toda nossa evolução em uma tirania horrível. Mas temos aliados, conseguimos fugir e não posso dizer onde estamos agora. Só peço que tomem muito cuidado, não confiem nas pessoas de Primus, não confiem em ninguém. Até mesmo o conde estava contra nós esse tempo todo. Porém fico tranquila que Gail não esteja aqui, acredito que ele está mais seguro com vocês. Gail seja forte, nossos pais estão a salvo, mas não querem que se preocupe com isso. Eles sempre souberam dos riscos. E para os soldados, por favor, cuidem bem do meu irmão. Entrarei em contato novamente assim que for possível. Adeus.

    O comandante ficou visivelmente nervoso com a mensagem, Gail quase entrou em pânico, não sabia nem o que pensar ou fazer, mas foi o primeiro a falar alguma coisa:

    - Minha família... Monstros e agora isso... - Olhou ao redor atônito sem saber o que procurava, parou o olhar em Ray e perguntou aflito - É possível resolver isso, não é? Eles vão recuperar o poder, vão conseguir... Ray?

    Rosso ficou irado, se levantou até o balcão tentando se controlar, mas não conseguiu, deu um soco com muita raiva no balcão. Em seguida começou a perder o controle ao gritar irado:

    - Eu sabia! Não devia ter vindo nessa missão! Aquele conde miserável! Só queria me afastar da princesa! Que droga! Provavelmente não tem nada aqui! Estamos ilhados, não podemos fazer nada! Era o que eles queriam! Me afastar numa missão sem sentido com um grupo de adolescentes irresponsáveis!

    Depois de falar, o comandante lançou um olhar estranho para o grupo e avisou:

    - Intervalo livre para todos, vou tentar consertar a droga da energia. Só não saiam da porcaria da nave!

    Logo depois, Rosso saiu do lounge muito irritado e descontrolado, deixando o grupo sozinho. O príncipe estava sem palavras e tinha o semblante perdido e muito aflito, olhava para todos como sem saber o que dizer. A situação de todos era muito grave, estavam encalhados em um planeta desabitado e selvagem, sem combustível, sem outra nave, sem resgate e para piorar, seu comandante tinha perdido o controle.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Pallando em Sex Abr 14, 2017 10:45 pm

    - Estão na cabine de comando.- Respondeu com maior ânimo por ver o comandante bem. Pensou em tentar justificar o porquê de não estarem todos juntos como fora ordenado, mas achou melhor deixar o assunto morrer antes que aquilo desencadeasse um sermão.- Ray nos trouxe até Nihil... e você precisava de tratamento, então eu e Chui o trouxemos para cá.

    Depois de responder as dúvidas de Rosso, Marin o seguiu para encontrar os outros. Quando os encontraram, todos reuniram-se no lounge para uma atualização. Compartilhamento de informação. Contaram tudo para o comandante, que apenas ouviu em silêncio, e Marin começava a ficar preocupado com a situação. Tudo aquilo era muito estranho. E então, após ouvir tudo, Rosso começou a falar e expor suas conclusões, além de esclarecer a estranheza da falta de sinal com a base.

    Marin devolveu o rifle para Chui e sentou-se em um canto qualquer enquanto ouvia. Estava quase que agradecido por ter algo mais com o que se preocupar além do péssimo sonho de antes. Perguntava-se se o problema com a nave realmente tinha relação com os atentados contra Gail, e não conseguia pensar em outra razão para que alguém quisesse sabotar a Seleucia. Mas isso foi antes de uma nova mensagem chegar ao comunicador de Rosso.

    A tela holográfica surgiu com a mensagem da princesa regente, que parecia esconder preocupação por trás da postura firme e séria. A mensagem continha informação básica para que entendessem o que se passava em Primus, e de certa forma chocaram o evo. Eram noticias que certamente não melhorariam o dia do grupo, apesar de fazerem tudo começar se encaixar de alguma forma. Muitas coisas faziam sentido agora. O evo não pôde deixar de se sentir mal por Gail, a princesa e por Primus no geral, porém, mesmo sabendo que a missão provavelmente fora apenas um pretexto para afastar Rosso, Marin ainda era grato por tal missão ter acontecido. Poderia ser egoísmo, mas se não houvesse missão jamais teria conhecido os quatro que agora o acompanhavam.

    Irado com o que ouvira, Rosso teve uma pequena explosão de raiva. Resmungou o que provavelmente todos estavam pensando e depois olhou para o grupo com um olhar estranho. Inesperadamente liberou os quatro para agirem livremente contanto que não deixassem a nave e então se retirou do lounge, deixando o grupo sozinho.

    De onde estava sentado, Marin observou os outros e deixou-se abater pela aflição que encontrou em alguns. Pessoalmente não se importava muito com a queda de uma família do trono ou com o golpe dos ministros em si, e muito menos se algumas pessoas estavam morrendo com isso, visto que pessoas morrem todo dia e por qualquer motivo. Também não se deixava entristecer pelo fato de a missão ter sido apenas uma distração, afinal desde o inicio embarcara na Seleucia por motivos exclusivamente pessoais. A única coisa que o deixava aflito era ver seus poucos amigos naquela situação.

    Pensou em abandonar seu costumeiro silêncio e tentar dizer algo motivador, qualquer coisa que pudesse inspirar algum deles ou pelo menos confortar, mas esse papel não combinava com o evo. Marin não tinha nada a dizer e sentia que restava esperar, pois não sabia absolutamente nada sobre o planeta em que estavam e por isso não ousaria arriscar ideias.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 349
    Reputação : 20
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Tsumai em Sab Abr 15, 2017 6:05 am

    Chui chegou rapidamente até o compartimento onde estavam Ray e Gail. Olhou para a cara dos dois e percebeu que todos estavam meio assustados e eufóricos.

    - Parabéns, Ray! Você conseguiu nos trazer em segurança... ao menos na medida do possível. Vocês dois mandaram bem. Eu consegui fazer o antídoto, espero que tenha feito resultado, vamos indo.

    Chui segue com os dois de volta para a ala médica, mas encontra Rosso e Marin no caminho. Eles estavam indo para o lounge, então seguiram todos juntos. Lá, o comandante se senta enquanto o o grupo explica e relata a ele cada um o que aconteceu. Chui conta sobre a criatura, sobre a ligação para Ashanti e sobre o xampu, enquanto Ray informava sua tarefa em pousar a nave e afirmava que estavam com falta de energia e combustível devido a uma pequena explosão. O que era curioso era como isso poderia ter acontecido, e juntamente com uma criatura de Locus. Chui ia questionar a respeito, mas Rosso tomou a palavra e fez suas considerações, sem deixar de alfinetar seus "soldados" e desobediência.

    Sabotagem. Realmente era isso que faria mais sentido, ocorrida em Duos, provavelmente. Ao menos, como o comandante dissera, Nihil era hostil, mas sua atmosfera ainda permitia que respirássemos. Enquanto isso, tentariam resolver o problema da nave e sua falta de conexão bizarra. Chui pegou de volta seu rifle que estava com Rosso, e logo em seguida, quando se sentou no sofá, o televisor se acionou e a princesa apareceu para enviar uma mensagem. Ao menos, aquilo indicava que os receptores estavam funcionando.

    Mas a mensagem não era nada agradável. Na verdade, era o extremo oposto.

    A princesa relatou sobre um golpe militar ocorrendo em Primus, e que as tais criaturas gigantes eram controladas - ou no mínimo enviadas - pelos próprios militares. Certamente atrás de Gail. Chui não ficou surpreso ao ouvi-la dizer que o Conde estava envolvido, pois na cara dele estava estampada sua má índole. Chui olhou para Gail quando a mensagem terminou. As coisas estavam pesadas por ali, e saber que sua família era refugiada do próprio governo provavelmente deixavam as coisas mais tensas para ele. Porém, Chui levou um susto com o surto explosivo que veio de Rosso no instante seguinte. Com um soco na mesa e esbravejando a inutilidade da missão, o comandante saiu do lounge, mas não sem antes avisar que tinham uma pausa, desde que não saíssem da nave.

    Chui tentava juntar as peças para entender melhor o que estava acontecendo, mas muita coisa ainda faltava ser descoberta. Estava claro - ao menos com as informações que tinham - das intenções dos monstros: atacar os governos e remanescentes deste para uma reformulação da Aliança, pois até mesmo Locus foi atacada, então estão pensando grande. Mas a sabotagem, o assassino de Duos e muitos pormenores ainda faltavam ser explicados. Chui queria se comunicar com sua irmã, mas resolveu esperar mais um pouco. Temia por novos problemas com a comunicação ou que isso pudesse interferir caso estivessem sendo espionados. Isso explicava a falta de contato com a base.

    - Caramba... - arriscou Chui, quebrando o silêncio. - O que vamos fazer agora? Não tem nenhum habitante por aqui que possa nos ajudar? Em Locus sei que existiam sucateiros errantes nos ermos do planeta. Já precisei de peças de alguns deles.

    Ele não tocou diretamente no assunto do golpe militar. Em vez disso, apenas olhou para Gail. Mas naõ demorou muito a abrir a boca novamente.

    - A situação é muito séria... tomar o poder assim, à força...

    E parou por aí, esperando que alguém continuasse a conversa tensa, ao menos enquanto Rosso não retornava.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1373
    Reputação : 270
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Luxi em Ter Abr 18, 2017 11:56 am

    Rhaenee piscou algumas vezes, envergonhada por ter sido chamada de "incrível". Por quê? Estava com tanto medo quanto ele na hora de comandar aquela nave, mas não deixou de sorrir, corando. Estava se sentindo assim mesmo, incrível, e ouvir isso dele fazia muito bem para o coração. Desviou o olhar, sem jeito, mas não brigou com ele.

    - Eh? Ué... - ela coçou o rosto - Não enviou...  - mordeu o lábio. - Eu estou um pouco preocupada, como vamos arrumar combustível nesse fim de universo? - confessou meio baixo. -Vamos ver o comandante

    Assim que avistaram Chui no caminho, Ray comemorou.
    - Estamos vivos! Eu sou uma ótima pilota. Mwhaha -fez um sinal de vitória, alegre. - Como ele está?

    Assim, conduzidos até o comandante, a garota explicou o que havia acontecido e ficou um pouco aborrecida quando Rosso começou com uma bronca, para logo depois sua expressão ficar envergonhada e ela novamente desviar o olhar, sem jeito, mas com um sorriso confiante.  Tinha sido elogiada pelo comandante!

    - O quê!? É sério? A mesma pessoa faria tanto assim para matar o Gail?? - ela arregalou os olhos, observando o príncipe preocupada. Não daria conta de protegê-lo contra um adversário tão poderoso.

    Quem estava por trás disso? Logo a resposta apareceu com a princesa, em tom de urgência.

    - O conde!! Aquele desgraçado! - trincou os dentes. - Eu sempre odiei aquele crápula! E pensar que ele queria botar a culpa em mim...

    Ela espumava de raiva quando o príncipe perguntou, de forma tão perdida e inocente, sobre o que aconteceria. Não tinha como saber... e ele perguntando isso pra ela a fazia sentir estranha, com medo de dar uma resposta sincera.
    Olhou para baixo, com pesar. Rosso gritou com todos, fazendo sua confiança desaparecer. Estava mesmo se sentindo uma "adolescente irresponsável" e de repente toda a missão parecia estúpida e uma grande brincadeira. De alguma forma, sentia como se fosse culpa dela.

    Olhou seus colegas. Marin estava quieto e também derrotado. Chui parecia preocupado. O que aconteceria com a irmã dele? Ou melhor: como estaria sua mãe em Primus? Mordeu o lábio.


    - Vai ficar tudo bem. Vamos resolver isso.  - rompeu o próprio silêncio, mas estava muito incomodada no momento para discutir ideias com os outros.  - O comandante não está pensando direito... está tão transtornado quanto nós. - Ela se levantou - Não podemos ficar parados aqui sendo tratados como criança! O Comandante precisa acreditar na gente. Eu já venho. - ela parou um minuto e olhou o grupo.
    Com um semblante muito sério, a garota saiu atrás de Rosso.

    - Comandante. Sei que nos deu um intervalo e está, mas peço um minuto da sua atenção.
    Gakky
    Adepto da Virtualidade
    avatar
    Adepto da Virtualidade

    Mensagens : 1562
    Reputação : 149
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1112.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1011.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Gakky em Ter Abr 18, 2017 10:28 pm

    --> Cena Lounge (Marin, Chui)

    O comandante deixa o lounge visivelmente descontrolado e rude. Marin preferiu ficar em silêncio, pois não tinha as palavras certas para dizer, embora estivesse preocupado com os amigos. Chui até tentou quebrar o silêncio, falou algumas palavras e não ajudou em nada a situação. Ele apenas constatava a desgraça em que tinham caído. Ou será que havia sucateiros em Nihil? Gail olhou para cada um deles com o olhar aflito, até que Ray disse algumas coisas. Gail ficou surpreso com as palavras dela, e quase foi atrás quando ela deixou o lounge, porém hesitou e sentou no sofá do lounge com uma expressão perdida.

    - Eu...Achei que... - Comentou Gail com a voz desanimada e cabisbaixo - Achei que pela primeira vez estava fazendo algo importante... Achei que poderia salvar Primus... Mas tudo só piorou...
     

    Gail suspirou e seu semblante ficou um pouco irritado quando falou:

    - Acho que nunca ninguém acreditou que eu podia fazer algo assim... Salvar a todos... Quem eu estava querendo enganar... Devem estar caçoando de mim, aquele conde e todos os outros. Acho que nem minha irmã acreditou, só queria me proteger. Devia desconfiar que essas coisas poderiam acontecer... Agora nem posso salvar a eles ou me chamar de príncipe.
     

    Depois de uns segundos pensativos, o príncipe se levantou e perguntou a Chui e Marin:

    - Mas e o meteoro? Ele realmente existia não? Minha irmã não foi muito clara sobre a origem das criaturas. E o meteoro surgiu ao mesmo tempo que a invasão. Não acham isso suspeito? Ainda é algo a ser investigado. Se for uma base inimiga, podemos entrar e atacá-los. Deve... Deve ter algo importante lá.

    Gail para e observa a reação dos dois, ainda parecia confuso, até com sua própria teoria, depois continuou com algumas ideias estranhas:

    - Eu acho que devemos seguir o plano. Ir até esse meteoro e fazer alguma coisa. Quero tomar um caminho onde não poderão rir de mim. Temos que fazer isso ter sentido e tenho que salvar minha família. Vocês estão comigo? Quero sair da nave para investigar, mesmo que Rosso discorde. A cabine de comando deve dizer a localização desse meteoro ou sei lá o que... Vocês viram do que ele nos chamou, não nos considera soldados, então não considero ele meu comandante. Nós somos amigos ainda? Estão comigo nessa?
     


    --> Sala das Máquinas (Ray)

    Rhaenee entrou na sala das máquinas, as paredes eram grossas e o barulho do maquinário fazia com que não pudessem ouvir o som dos outros compartimentos. Ela deu alguns passou pelo cômodo, que cheirava a metal empoeirado, a porta atrás dela se fechou automaticamente como de costume. Rosso estava mexendo em alguns fios, ainda tinha o semblante irritado. Quando Rhaenee o chamou, o comandante deu berro balançando aos mãos, tinha levado um choque.

    - Droga! - Berrou Rosso - Se ao menos tivesse um mecânico...

    Ele virou o rosto na direção da garota e a fuzilou com o olhar irado. Rhaenee havia sido a culpada por tê-lo feito levar o choque, sabia disso. Havia deixado ele bem mais zangando. O comandante suspirou e falou algumas palavras para si mesmo:

    - É isso que eu mereço... E as coisas só pioram... Onde fui meter...

    Depois finalmente voltou-se para responder a pergunta de Ray, estava visivelmente mau-humorado e respondeu ríspido:


    - O que foi dessa vez? Colocaram fogo em algo? Ou foi o Gail que desmaiou? Vai diga, o que foi agora. Não pode ficar pior mesmo, ou talvez possa...

    Rosso penteou os cabelos para trás com a mão e esperou que a garota falasse.
    Luxi
    Moderador
    avatar
    Moderador

    Mensagens : 1373
    Reputação : 270
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/311.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1012.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/912.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/212.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Luxi em Ter Abr 18, 2017 10:55 pm

    Rhaenee desviou o olhar a princípio, um pouco com medo e até culpada por iniciar aquela conversa, mas o impulso a tinha levado até ali, afinal. Ela cerrou os punhos. Precisava falar alguma coisa.


    - Está sendo muito injusto - franziu a testa, mas estava bastante séria, embora seu tom fosse alternando do sério ao dramático, até perder a força no final, quando já estava tímida. - Nós não somos um monte de crianças, comandante. Lembre-se que essas crianças acabaram de salvar a sua vida. Chui e Marin fizeram isso. Nós tomamos conta de tudo enquanto você estava mal. Pudemos lidar com tudo sem você, porque aprendemos com você! - ela parou de falar alto e desviou o olhar de novo - Eu sei que está irritado, porque está com medo... Todos nós estamos. Mas nós estamos fazendo o melhor que podemos, em vez de fugir! Se trabalharmos juntos, se parar de nos ver como um quarteto de inúteis, nós vamos conseguir ajudar. Disse para ficarmos juntos, então por que agora que estamos em apuros você quer que o grupo se separe enquanto tenta resolver tudo sozinho? Eu sei que erramos bastante, que até somos um pouco inúteis, mas nós somos tudo o que você tem agora. Um evo forte com habilidades escondidas, um príncipe corajoso que é uma peça chave Primus, um caçador de uma mira incrível que tem conhecimentos de criaturas que eu nunca tinha ouvido falar e... eu, que tenho observado você. Então, por favor, comandante, vamos nos reunir de novo e tentar. Deixe que a gente saia dessa nave com um plano bem feito, Chui teve uma boa ideia, sabia? Ou ao menos deixe um de nós tente mexer nas máquinas... Mas enquanto você está aqui, estamos lá, perdendo tempo. Suas ordens não podem mais ser para nos deixar para trás, entende isso? Você pode ser mais um que não acredita, mas nós somos soldados e nos esforçamos muito! Sinto muito não sermos o tipo que você gostaria. Mas os desse tipo mudaram de lado agora... Eu só... achei que precisava falar isso. - e assentiu, pronta para voltar para seu lugar.
    Tsumai
    Tecnocrata
    avatar
    Tecnocrata

    Mensagens : 349
    Reputação : 20
    Conquistas :
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/411.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1811.png
    • https://i11.servimg.com/u/f11/17/02/65/26/1413.png

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Tsumai em Qua Abr 19, 2017 10:28 pm

    Chui voltou ao silêncio, e ouviu sem falar nada as palavras de Gail. Não tinha respostas para o príncipe, nem nada encorajador para aquelas palavras. De qualquer forma, ele estava certo, saíram em uma missão que poderia ser algo bom, mas que serviu apenas para tirá-los de cena enquanto assumiam violentamente o poder em Primus. Era, de certa forma, tocante ver Gail falar tudo aquilo, justamente quando pensou ser mais util do que marketing para o governo, e de repente, descobrir que nada daquilo era verdade e que tudo não passava de perda de tempo. O príncipe também estava começando a se irritar, o que não deixou de ser previsível, embora deixasse Chui um pouco surpreso com as decisões que resolveu tomar, o que, novamente, levaria ele e ao caçador em ideias opostas.

    - Gail... Não podemos sair assim. É um planeta hostil, com uma atmosfera perigosa. E precisamos esperar por Rosso, já que ele está consciente. Não é o mesmo que perambular pela nave... lá fora estamos entregues à própria sorte. Vamos esperar Ray retornar...

    Depois complementou o que o príncipe continuou dizendo.

    - Rosso está enfurecido, assim como você. Além disso, ele não está acostumado a liderar um grupo de adolescentes...

    Chui olhou para Marin, tentando decifrar o que se passava com o evo e também esperando que ele desse sua opinião a respeito da situação e do que Gail propunha. Ao menos Chui sabia que o príncipe não faria nada sem Rhaenee por perto.
    Pallando
    Troubleshooter
    avatar
    Troubleshooter

    Mensagens : 895
    Reputação : 21

    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Pallando em Sab Abr 22, 2017 6:48 pm

    Não saberia dizer se era uma boa ou má ideia, mas Marin não contrariou Ray em sua ideia de ir falar com o comandante. Ao menos ela havia tomado uma atitude e agido ao invés de juntar-se aos outros na compreensível lamentação. Gail pareceu querer ir atrás da guarda costas, mas desistiu e voltou a sentar-se no sofá com a mesma expressão perdida de antes. Era difícil imaginar como o príncipe estava se sentindo com tudo aquilo, sabendo que sua grande missão não passara de uma "brincadeira" e que sua família havia sido derrubada do poder. Ele falava como se já estivesse derrotado.

    Marin continuou calado durante esse tempo. Não sabia o que dizer, até que alguns segundos depois Gail se levantou, aparentemente determinado a virar aquele jogo, e começou a falar como se já estivesse decidido. Era bom ver que o príncipe ainda não havia se rendido e ele de fato tinha razão em alguns pontos, porém sair daquela maneira rumo ao desconhecido parecia loucura. Não seria bom jogar um balde de água fria em Gail logo depois de ele ter encontrado forças para se reanimar, mas seria pior ainda se agissem com tamanha imprudência.

    Chui também parecia não ter se deixado levar pela ideia e calmamente se expressou. Realmente era melhor que esperassem Ray voltar, pois com sorte ela conseguiria acalmar o comandante e traze-lo de volta a razão.

    - Acredito que a atitude correta deva ser essa Gail, mas também acho que seria melhor esperarmos a Ray retornar... Nossas chances são muito maiores juntos. Acredito no Chui quando ele diz que estaríamos entregues à própria sorte lá fora.

    Conteúdo patrocinado


    Re: Capítulo 4 - Viagem para Nihil

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Nov 21, 2017 5:30 pm